Vendas fortes do PS4 e fracas de celulares impactam segundo trimestre da Sony

Por Rui Maciel | 30 de Julho de 2019 às 22h10
Tudo sobre

Sony

Saiba tudo sobre Sony

Ver mais

A Sony divulgou, nesta terça-feira (30), os resultados financeiros referentes ao segundo trimestre de 2019. E os números mostram que a empresa vive duas realidades: enquanto os sensores de câmera e o PlayStation 4 puxam os números para cima, sua divisão de smartphones, a Sony Mobile, funciona como uma âncora para as finanças da empresa.

A empresa japonesa registrou lucro operacional recorde US$ 2,1 bilhões de dólares, um aumento de 18,4% em relação ao mesmo período do ano anterior. Além disso, esse número superou a expectativa dos analistas de mercado, que estimavam que o lucro líquido da compahia atingiria cerca de US$ 1,59 bilhão. Com isso, a Sony prevê resultados positivos até o fim do ano fiscal, que se encerra em março de 2020, atingindo US$ 7,45 bilhões de lucro.

Bem na foto, bem nos games

O otimismo da Sony para atingir esses números se dá por dois produtos da empresa: seus sensores de câmera — principalmente para smartphones — e seu console atual de videogame, o Playstation 4. No primeiro, a companhia japonesa registrou lucro líquido de US$ 450 milhões, um aumento de 70% em relação ao mesmo período de 2018. No entanto, a empresa deve ficar atenta às questões comerciais envolvendo EUA e Huawei. Isso porque, caso a fabricante chinesa permaneça na lista negra do Departamento de Comércio norte-americano, é possível que a sua produção de smartphones diminua. Com isso, a compra de sensores de câmera junto à Sony também seria reduzida. Analistas de mercado estimam que a Huawei tenha sido responsável por até 20% da receita desse tipo de componente junto à Sony.

A divisão de videogames da empresa também vai bem, obrigado. Na divulgação de seu balanço, a Sony informou que vendeu 3,2 milhões de unidades do Playstation 4, o que permitiu ao console atingir uma marca histórica: 100 milhões de aparelhos comercializados desde o seu lançamento, em novembro de 2013. Para efeito de comparação, seu principal concorrente, o Xbox One, vendeu 45 milhões de consoles, sendo que, a exemplo do PS4, ele também chegou às lojas em novembro de 2013.

No entanto, as vendas do PS4 devem diminuir a partir dos próximos trimestres, já que a Sony passa a dedicar mais atenção ao desenvolvimento de seu próximo videogame, o Playstation5, que deve chegar ao público em 2020.

Sony Mobile: o futuro não é nada promissor nos smartphones da marca

Se os videogames e câmeras da Sony vão bem, o mesmo não se pode dizer da divisão de smartphones da marca. A empresa vendeu apenas 900 mil unidades de seus aparelhos no segundo trimestre de 2019. É a primeira vez que a fabricante japonesa vende menos de 1 milhão de dispositivos móveis, o que é especialmente preocupante, uma vez que, no mesmo período de 2018, foram comercializados 2 milhões de celulares. Tais números obrigaram a Sony a reduzir a estimativa de vendas para o ano fiscal de 2019 de 5 para 4 milhões de unidades.

A Sony não teve grandes lançamentos nos dois primeiros meses do trimestre, focando seus esforços nas vendas do Xperia 10 e Xperia 10 Plus. Além disso, no no início de junho a marca japonesa lançou seu último carro-chefe — o Xperia 1 — na maioria dos mercados internacionais. O smartphone foi frequentemente listado como esgotado em diversos países, o que acabou sugerindo que a demanda estava alta. No entanto, os últimos números de remessas da empresa sugerem que, na verdade, o fornecimento era simplesmente limitado.

Embora não esteja claro quanto dinheiro a divisão de smartphones da Sony perdeu no último trimestre — a empresa não forneceu um relatório financeiro específico para este setor, incluindo esses números em sua divisão de eletrônicos, que incluem TVs e câmeras digitais —, a companhia já avisou que os lucros, provavelmente, não chegarão até o primeiro trimestre de 2021. Para isso, ela continuará reduzindo seus custos operacionais e espera aumentar suas vendas quando os smartphones 5G começarem a se tornar mais populares. Isso se a marca chegar até lá.

Fonte: Reuters, GSM Arena, PhoneArena, The Verge

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.