Vendas do G6 não decolam e LG apresenta resultados abaixo do esperado

Por Redação | 07.07.2017 às 12:22

O relatório preliminar com os números do segundo trimestre da LG é o que poderia ser definido como agridoce. De um lado, vem a boa notícia de que os lucros da empresa devem apresentar crescimento de 14% em relação ao ano passado. Do outro, a ideia de que os totais a serem apresentados estão abaixo das expectativas do mercado, devido, principalmente, ao desempenho turbulento da divisão mobile da fabricante.

Entre os meses de abril e junho, a LG acumulou um lucro de US$ 574,4 milhões, enquanto o faturamento total teve crescimento de 3,9%, chegando a US$ 12,4 bilhões. Entretanto, as expectativas dos analistas eram de, respectivamente, US$ 640 milhões em ganhos e movimentação total de US$ 12,8 bilhões.

Os desempenhos considerados fracos teriam a ver, principalmente, com a performance do setor mobile da LG. Por mais que seu mais novo topo de linha, o G6, venha apresentando vendas consideradas interessantes para a marca, ele ainda assim não estaria fazendo jus às expectativas da companhia e os esforços de marketing envolvidos, deixando a desejar na soma de todos os fatores que envolvem sua presença no mercado.

Com isso, as perdas na divisão seriam de cerca de US$ 85 milhões – pouco mais do total necessário para que os números reais ultrapassassem as expectativas do mercado. É a nona queda consecutiva nos lucros registrada pelo segmento, que apesar dos sinais de recuperação e do posicionamento da LG como terceira maior fabricante de smartphones, ainda mostra que há muito o que se fazer.

Além disso, houve ligeira redução em outros segmentos tradicionalmente fortes para a LG, como o de TVs e equipamentos domésticos, que acabaram contribuindo negativamente para os resultados. A previsão abaixo do esperado levou, ainda, a uma queda de 4,2% nas ações da companhia, no que pode acabar motivando reduções ainda maiores nos trimestres que estão por vir.

Não ajudou, também, o fato de que, no mesmo dia, a Samsung apresentou resultados explosivos, que podem coloca-la até mesmo na frente da Apple em lucros do mercado mobile. O contraste entre duas companhias sul-coreanas, de ofertas diversificadas e que passaram por problemas na história recente, não ajudou a LG.

Apesar de tudo isso, a fabricante espera crescimento para os próximos trimestres. Ela olha com bons olhos, por exemplo, o setor de componentes veiculares, além de acreditar que a queda sazonal e esperada nos setores de equipamentos domésticos, que sempre acontece em meados do segundo semestre, deve ser menor em 2017. Com isso, a ideia é apresentar números mais fortes nos próximos períodos.

Fonte: Reuters