Vendas da Xiaomi no primeiro semestre são inferiores ao período anterior

Por Redação | 02 de Julho de 2015 às 17h33

Nesta quinta-feira (02), a chinesa Xiaomi anunciou que vendeu 34,7 milhões de unidades de smartphones na primeira metade de 2015. Apesar do número representar um aumento de 33% em relação ao mesmo período do ano anterior, ele também implica em uma pequena queda na comparação com o segundo semestre de 2014, quando a companhia vendeu 35 milhões de aparelhos entre julho e dezembro.

Isso representa a primeira queda sequencial desde que a empresa começou a divulgar seus resultados financeiros semestrais em 2013. Apesar da queda não ser extremamente brusca, ela pode colocar em risco a meta da companhia para o ano inteiro, que tem como alvo uma venda mínima de 80 milhões de smartphones até dezembro, pois pode insinuar uma desaceleração no seu mercado doméstico.

A esperança é que no segundo semestre os números sejam melhores, uma vez que a empresa terá ao seu lado datas comemorativas, como o Natal, e também seu projeto de expansão para novos mercados. Na última terça-feira (30), a Xiaomi anunciou sua estreia oficial no mercado de vendas brasileiro durante um evento em São Paulo.

Porém, a grande dúvida dos analistas é se essa expansão internacional terá retorno rápido o suficiente para combater a desaceleração no mercado doméstico da companhia. Fato é que as vendas precisam aquecer consideravelmente no segundo semestre para atender às expectativas da Xiaomi e dos investidores.

A Xiaomi também vai expandir suas vendas para a Índia e Sudeste da Ásia, mas em muitos mercados emergentes, a empresa tem de lidar com diversas medidas protecionistas, como uma unidade na Índia para promover os direitos de produção locais, e a alta taxa sobre importadores no Brasil.

Com informações da Reuters
Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.