Twitter registra primeiro trimestre lucrativo de sua história

Por Redação | 08 de Fevereiro de 2018 às 12h39
Tudo sobre

Twitter

O Twitter está só sorrisos nesta quinta-feira (08). Ao anunciar seus resultados financeiros para o último trimestre de 2017, a rede social também apresentou ao mercado os primeiros lucros reais de sua história, com ganhos de US$ 91,1 milhões entre outubro e dezembro do ano passado, levando a um aumento de US$ 0,12 por ação.

No período, o faturamento total da empresa também teve aumento, chegando a US$ 731,6 milhões e representando um crescimento de 2% em relação aos números de 2016. É um total bem acima da previsão do mercado, que era de US$ 686,4 milhões, mostrando uma saúde financeira para a companhia bem acima das análises dos especialistas.

Os dois fatores, combinados, levaram a uma alta de nada menos do que 15% nas ações da empresa antes da abertura do pregão desta quinta. O movimento acelerado do mercado acompanha, também, uma mudança nas estimativas para o Twitter — de uma empresa problemática, que muitos olhavam com ceticismo, a rede social, agora, prevê um 2018 com ganhos em todos os trimestres, com o bom resultado do final de 2017 não sendo apenas um acontecimento isolado.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

É uma situação completamente diferente da vista um ano antes, quando o recuo de US$ 167,1 milhões, ou US$ 0,23 por ação, levou a muitos boatos relacionados a uma possível venda da rede social. Uma possível proposta da Google chegou a ser ventilada pela imprensa, mas nunca foi confirmada, enquanto a companhia trabalhou para permanecer independente e focar em fatores que levariam ao crescimento esperado ao longo de todo o ano de 2018.

Para apoiar essa expectativa, a rede de microblogs falou em cortes de gastos e esforços redobrados em ações de marketing e geração de conteúdo, principalmente relacionados à venda de anúncios de vídeo e o licenciamento dos dados e telemetria de utilização. Além disso, ela citou um esforço de recuperação de reputação e um trabalho para tornar a comunidade mais sadia por meio de políticas mais rígidas contra spam, contas falsas, discurso de ódio e conteúdo abusivo.

Tais esforços, entretanto, levaram a pouca mudança no total de usuários mensais, que permaneceu na casa dos 330 milhões, como no trimestre anterior. Por outro lado, o Twitter aponta para um crescimento nessa categoria em termos de utilizadores “verdadeiros”, suplantado pelo bloqueio de contas falsas ou ligadas a campanhas de spam. A expectativa, também, é de crescimento na medida em que o problema vai sendo contido e mais gente passa a se integrar à rede social.

Essa perspectiva também se deve ao foco renovado em conteúdo de vídeo, fazendo com que mais gente se sinta atraída para a plataforma ao mesmo tempo em que os usuários contumazes passam mais tempo nela. O Twitter também ressaltou o sucesso contínuo dos algoritmos que mostram o conteúdo mais relevante com destaque, também aumentando a média de utilização e o engajamento com as postagens.

Trabalhando em outras frentes

A expansão do Twitter para fora do território americano também recebeu bastante atenção por parte da companhia. Como mais uma forma de apoiar a afirmação de que os lucros serão uma constante daqui em diante, o site do passarinho rebateu uma queda de 8% no faturamento nos Estados Unidos com um aumento de 17% no restante do globo.

O Japão, por exemplo, contribuiu sozinho com US$ 106 milhões em vendas, um aumento de 34% em relação ao obtido no ano anterior. Foi o país com maior crescimento entre todos e, também, foco de atenção por parte da companhia na medida em que o total de usuários não apenas lá, mas em todo o território asiático, não para de crescer.

O último trimestre de 2017 também foi o primeiro em que as receitas com licenciamento de dados ultrapassaram as da publicidade convencional em crescimento. Apesar de as propagandas tradicionais ainda serem responsáveis por US$ 644 milhões em faturamento no período, o aumento aqui foi de apenas 1%, enquanto os US$ 87 milhões obtidos com licenciamento de dados representam um crescimento de 10%.

Acordos de licenciamento com empresas de mídia e o aumento no número de caracteres das mensagens, dos tradicionais 140 para 280, o dobro do original, também foram citados como fatores que continuarão a impulsionar o crescimento da empresa em mercados internacionais. A expectativa, então, é de mais faturamento e, com a continuidade da limpeza, um aumento real no total de utilizadores mensais da plataforma.

Fonte: Bloomberg

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.