Tesla Motors apresenta prejuízo pelo 13º trimestre consecutivo

Por Redação | 04 de Agosto de 2016 às 08h58

Em seu relatório financeiro do segundo trimestre divulgado nesta quarta-feira (3), a Tesla Motors informou uma perda líquida de US$ 293 milhões, chegando ao 13º trimestre seguido de perdas. No final do ano passado, na conferência de resultados do quarto trimestre de 2015, o CEO da empresa, Elon Musk, afirmou em tom de promessa que a empresa de veículos elétricos se tornaria rentável antes do verão seguinte, ou seja, junho de 2016. Mas problemas de produção continuaram a atormentar a empresa, apesar de Musk e Jason Wheeler, vice-presidente de finanças, estarem convictos de a companhia estar fora de perigo sobre questões de produção, mesmo não tendo alcançado as metas de produção no segundo trimestre.

Wheeler disse que, apesar de estarem desapontados com os números apresentados, outros fatores precisavam ser considerados. Segundo ele, é preciso levar em conta o aumento significativo da produção nas últimas 4 semanas do trimestre, quando a companhia chegou a produzir 2.000 veículos. Musk completou dizendo que a empresa está tentando balancear a produção entre SUVs e sedãs e que não está perdendo o sono à noite por conta dos resultados divulgados.

Elon Musk

(Foto: Elon Musk, CEO da Tesla Motors.)

Quantificando o que foi apresentado, a Tesla entregou 14.402 novos carros no período avaliado – 9.764 Model S e 4.638 Model X –, apesar de ter projetado inicialmente a entrega de 17.000 veículos. A companhia ainda afirmou que, para a segunda metade do ano de 2016, planeja produzir 50.000 carros.

Os executivos aproveitaram a oportunidade para elogiar as melhorias que a Tesla vem fazendo em suas fábricas e em sua logística e também para dizer que estão trabalhando para que sua enorme fábrica em Nevada seja inaugurada a tempo de produzir o Model 3, modelo que deverá ser lançado até o final de 2017. Sem se esquecer do passado, Musk fez questão de lembrar que em 2010, quando ainda tinha uma parceria com a montadora Lotus, a empresa produzia 600 carros por ano. Hoje, sem nenhum parceiro, a Tesla planeja chegar aos 50.000 no ano.

Tesla Model 3

(Foto: esboços do Tesla Model 3 que deverá ser lançado em 2017)

Além de ficar aquém das suas próprias metas de produção, o que parece também ter atrapalhado os resultados neste trimestre foram as despesas operacionais, que subiram 8% em relação ao período passado. Somando-se a isso, a empresa ainda teve um aumento de gastos em pesquisas e desenvolvimento do seu próximo veículo, o Model 3. Ela já informou anteriormente que o design do automóvel já está pronto e que ele se encontra na fase de planejamento, produção e validação.

Encerrando o pronunciamento, o CEO fez alguns comentários fortes contra a California Air Resources Board (CARB), instituição que incentiva os fabricantes de veículos com emissão zero de carbono por meio de créditos que podem ser negociados entre as montadoras para impulsionar a produção de veículos ecológicos. A Tesla vendeu US$ 170 milhões desses créditos para montadoras “menos verdes” no ano passado, mas Musk diz que esse valor é muito pequeno para livrar essas empresas de se modernizarem energeticamente. Por fim, disse que a CARB está sendo incrivelmente fraca no gerenciamento dos créditos e que ela deveria se envergonhar do que faz.

Via: ARS

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.