Receita do mercado de storage no Brasil caiu 37,2% em 2015

Por Redação | 30 de Maio de 2016 às 17h23

O mercado de storage no Brasil não teve muito o que comemorar ao final de 2015. No último ano, o setor arrecadou US$ 341 milhões, valor 37,2% menor do que os US$ 543 milhões faturados em 2014, segundo informa um estudo realizado pela IDC Brasil. O desempenho negativo se deve a vários motivos, especialmente a alta do dólar e a recessão econômica do país, fatores que influenciaram diretamente na diminuição da realização de grandes projetos.

“Percebemos uma mudança de comportamento do setor, que aumentou a busca pela linha mid-range (de equipamentos com preços que variam de US$ 25 mil a US$ 250 mil) e não mais pela high-end (equipamentos com valores superiores a US$ 250 mil) para reduzir despesas. Em 2016, o cenário deve ser o mesmo, já que a linha mid-range vem oferecendo para uma parcela do mercado um melhor custo-benefício ao cliente”, garante o analista de pesquisas do IDC Brasil Luís Altamirano.

Mesmo com o panorama geral sendo negativo, o estudo levado a cabo pela IDC Brasil revelou uma leve melhora em algumas indústrias. “O segmento de serviços, por exemplo, teve crescimento no último trimestre de 2015. A busca por soluções de cloud impulsionou essa pequena elevação e houve um aumento nas negociações de provedores de data centers”, comenta Altamirano.

O ano de 2016 deve apresentar uma estabilidade para o mercado de storage, com uma elevação de 14,7% na linha intermediária (mid-range). A IDC Brasil prevê ainda que novos projetos de valor vão impulsionar o crescimento do setor nos próximos dois anos, especialmente por causa das novas tecnologias de flash e de serviços na nuvem.

Fonte: IDC Brasil

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.