Receita da Microsoft aumenta, mas lucro líquido cai graças a nova lei de Trump

Por Redação | 02 de Fevereiro de 2018 às 14h36
Tudo sobre

Microsoft

Os resultados financeiros da Microsoft, referentes ao último trimestre de 2017, foram positivos, mas nem tanto. É que a gigante de Redmond, apesar de ver sua receita crescer em 12% em comparação com o mesmo período do ano anterior, teve prejuízo de US$ 6,3 bilhões graças ao pagamento de taxas instituídas com a Tax Cuts and Jobs Act (TCJA), lei assinada pelo presidente Donald Trump em dezembro.

No período, a Microsoft obteve uma receita de US$ 28,9 bilhões, com lucro operacional de US$ 8,7 bi. O lucro líquido teria ficado em US$ 7,5 bi se não fossem os impostos pagos à nova lei, o que representaria um aumento de 20% ano-a-ano.

A companhia divide seus resultados em três segmentos: produtividade e negócios (o que engloba o Office, Exchange, Expoint, Skype, LinkedIn e Dynamics), nuvem (com Azure, Windows Server, SQL Server, Visual Studio e Enterprise), e computação pessoal (incluindo Windows, Xbox e hardwares, além de buscas e propaganda).

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

O grupo de produtividade sozinho respondeu por US$ 9 bilhões da receita total, com crescimento de 25% ao se comparar com os dados do terceiro trimestre de 2016. E 15 desses 25% vieram somente do LinkedIn, cuja receita isolada ficou em US$ 1,3 bi. O restante veio do Office 365, cuja receita subiu 41%, enquanto a receita obtida com o Dynamics cresceu 10%. Já o grupo das aplicações em nuvem teve receita de US$ 7,8 bi (15% de aumento), com a receita do Azure crescendo em 98%.

Quanto à receita obtida por hardwares e computação pessoal, esse grupo registrou US$ 12,2 bilhões, crescendo 2% em relação ao mesmo período do ano anterior. Com a Microsoft abandonando o mercado de smartphones, a receita total caiu em 2% por conta disso, mas os ganhos foram garantidos pelos consoles de videogame e seus serviços online. O Xbox Live atualmente tem 59 milhões de usuários mensais ativos, um crescimento de 4%, com renda total obtida por meio da venda de assinaturas e jogos ficando em US$ 3,9 bilhões (8% de aumento).

Já a receita do Surface cresceu somente 1%, com receita de US$ 1,1 bi, com o Xbox One X liderando a divisão de hardware com 8% de crescimento. Mas quem teve a melhor performance neste grupo foi o buscador Bing, crescendo 15% no período analisado.

Fonte: ARS Technica

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.