Microsoft | Nuvem e Xbox fazem receita líquida crescer 30% no 1º trimestre

Por Felipe Ribeiro | 28 de Outubro de 2020 às 11h38
Flickr/ david__jones/ Photo Pin
Tudo sobre

Microsoft

Saiba tudo sobre Microsoft

Ver mais

A pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2) combaliu a economia mundial em diversos segmentos, mas algumas empresas conseguiram crescer mesmo diante deste cenário caótico. Uma delas, claro, foi a Microsoft, que registrou números expressivos em seu primeiro trimestre fiscal de 2020. De acordo com balanço da companhia, o aumento na receita líquida foi de 30%.

Com o aumento no uso dos seus produtos por conta da pandemia, como serviços na nuvem, Xbox e aparelhos Surface, a Microsoft conseguiu arrecadar US$ 37,2 bilhões de forma bruta e US$ 13,9 bilhões de lucro.

Nuvem impulsiona, mas tem ajuda de outros produtos

Os serviços em nuvem são o maior impulso para as receitas da Microsoft. Devido ao aumento de pessoas trabalhando de casa e com a necessidade de equiparem melhor suas máquinas pessoais, houve um crescimento enorme de assinantes do Office 365, com registro de 21% na versão comercial e 27% na versão padrão. A receita de produtos de servidor e serviços em nuvem também aumentou, com crescimento de 22%, pois mais empresas contam com serviços em nuvem para trabalho remoto. A própria receita do Azure cresceu 48%.

Mas mesmo com esse desempenho assombroso dos serviços na nuvem, a Microsoft teve uma boa ajuda de outras divisões. Os aparelhos Surface, por exemplo, tiveram salto de 37% no Q1, mesmo sem qualquer lançamento no período. Os números devem melhorar quando a empresa anunciar os ganhos dos demais semestres, uma vez que ela lançou recentemente o Surface Go e o Surface Pro X.

Novo console da Microsoft deve impulsionar receitas da empresa nos próximos semestres/ Imagem: Divulgação/ Microsoft

E o que falar da divisão Xbox? Prestes a lançar os novos consoles no próximo dia 10 de novembro, o Xbox Series X e o Xbox Series S, a empresa viu esse segmento ter crescimento de 30% nas receitas se compararmos com o mesmo período do ano passado. Neste ponto, o xCloud, o serviço de jogos na nuvem, e o Xbox Game Pass, que libera games por assinatura, foram os fatores de impulsionamento. Para ilustrar: o Game Pass tem 15 milhões de assinantes ativos.

“Esperamos uma demanda muito forte após o lançamento de nossos consoles Xbox Series X e S de próxima geração”, disse Amy Hood, o CFO da Microsoft, durante uma conversa com investidores. Essa demanda deve impulsionar o “crescimento da receita de hardware com restrição de fornecimento de aproximadamente 40%” no próximo trimestre.

Fonte: The Verge

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.