HPE apresenta resultados financeiros para o último tri e ano fiscal

Por Redação | 22.11.2016 às 21:57
photo_camera HPE Divulgação

A HPE divulgou, nesta terça (22), os resultados do quarto trimestre e do ano fiscal de 2016. Os lucros trimestrais ficaram alinhados com as expectativas de mercado, mas a receita ficou abaixo do esperado: a companhia informou ganhos de US$ 12,5 bilhões no quarto trimestre, queda de 7% em relação ao mesmo período do ano anterior.

O lucro não-GAAP chegou a 61 centavos por ação; as expectativas de Wall Street eram de 60 centavos de dólar por ação e uma receita de US$ 12,85 bilhões. Para todo o ano fiscal de 2016, os lucros não-GAAP chegaram a US$ 1,92, enquanto a receita atingiu US$ 50,1 bilhões, uma queda de 4% em relação ao mesmo período do ano anterior.

"O ano fiscal de 2016 foi histórico para a Hewlett Packard Enterprise", disse a presidente e CEO da empresa, Meg Whitman, em comunicado. "Durante nosso primeiro ano como uma empresa autônoma, a HPE apresentou o desempenho de negócios que prometemos, cumprimos nosso compromisso de inovação e começamos a transformar a empresa por meio de mudanças estratégicas projetadas para permitir um desempenho financeiro ainda melhor".

A receita do quarto trimestre diminuiu no ano a ano em todos as divisões da empresa, exceto nos serviços financeiros, batendo US$ 814 milhões (aumento de 2%). A receita de Serviços Empresariais atingiu US$ 4,7 bilhões, representando queda de 6%, enquanto a receita de software foi de US$ 903 milhões, caindo 6% em comparação com o mesmo período do ano anterior.

Já a receita do Grupo Empresarial chegou a US$ 6,7 bilhões, uma queda de 9% em relação ao mesmo período doe 2015. Especificamente, as quedas foram de 7% em servidores; 5% em armazenamento; 34% em rede; e 4% em serviços.

Enquanto as receitas no quarto trimestre diminuíram, a HPE destacou várias áreas de crescimento em toda a sua carteira: Aruba subiu 13 por cento, os arrays cresceram mais de 100 por cento e o setor de computação de alto desempenho subiu mais de 30 por cento.

Whitman, aliás, ressaltou seus planos estratégicos para fortalecer a posição da empresa no longo prazo, como a cisão da HPE e fusão de seu negócio de serviços de computação com a Computer Sciences Corp., a aquisição da SGI e a futura aquisição com a Micro Focus, do Reino Unido.

Para a CEO, o futuro da HPE trará bons frutos, já que a empresa se tornará mais ágil. O objetivo da companhia, segundo ela, é ser o principal provedor de TI híbrido da indústria.

Com informações do Wall Street Journal e do ZDNet