Grupo Capgemini aumenta em 11,8% sua receita no primeiro trimestre de 2016

Por Redação | 04.05.2016 às 19:09
photo_camera Divulgação

O Grupo Capgemini divulgou nesta quarta-feira (4) os resultados financeiros referentes ao primeiro trimestre de 2016. No período, a companhia registrou receita de US$ 3,5 bilhões, aumento de 11,8% ante os três primeiros meses do ano passado. Com a estrutura do Grupo inalterada (principalmente a integração da IGATE, adquirida em 1º de julho de 2015) e câmbio constante, o crescimento orgânico foi de 2,9%.

As soluções de plataforma integrada da IGATE (conhecida como ITOPS) registraram crescimento no primeiro trimestre. O setor de serviços financeiros, fortalecido com a aquisição, também contribuiu bastante para o crescimento do Grupo no período, com aumento de 29,7% com câmbio constante e 7,8% organicamente, confirmando a tendência positiva no setor.

No 1º trimestre deste ano, as vendas totalizaram US$ 3,592 bilhões, o que representa um aumento de 17,6% em relação ao mesmo período de 2015. Com base nos resultados do primeiro trimestre, o Grupo prevê crescimento de 7,5% a 9,5% na receita com câmbio constante; margem operacional de 11,1% a 11,3% e fluxo de caixa orgânico livre acima de US$ 976 milhões. O Grupo estima um impacto negativo de 2% das flutuações cambiais na receita, principalmente devido à valorização do Euro frente à Libra Esterlina e ao Real.

Todas as divisões do Grupo registraram crescimento no primeiro trimestre. A divisão de Serviços de Consultoria (4% da receita do Grupo), impulsionada pela demanda por transformação digital, mantém sua trajetória de crescimento, com aumento de 7,4% em relação ao mesmo período de 2015 com câmbio constante. A divisão de Serviços Profissionais Locais (15% da receita do Grupo) registrou aumento da receita na ordem de 11,2% com câmbio constante, impulsionada pelas atividades de engenharia da IGATE.

Serviços de Aplicações (59% da receita do Grupo), que cresceu 16,2% com câmbio constante, é um importante motor de crescimento para o Grupo, baseado na forte demanda do mercado por soluções digitais e de nuvem. Outros Serviços Gerenciados (22% da receita do Grupo), após integração da divisão de terceirização de processos de negócio (Business Process Outsourcing – BPO) da IGATE, da plataforma ITOPS e atividades voltadas à infraestrutura, registrou crescimento de 11,2%, considerando-se o câmbio constante.

Regiões

A América do Norte reforçou sua posição de maior região da Capgemini, gerando 30% da receita do Grupo e crescimento de 40,1% sobre 2015, com câmbio constante. Com estrutura do Grupo e câmbio inalterados, o crescimento permaneceu 6,9% com a mesma base de comparação), exceto no setor de Energia & Utilities, no qual registrou contração nos últimos 9 meses.

A região do Reino Unido e Irlanda, impulsionada por um setor privado em ascensão, com crescimento orgânico de dois dígitos, registrou avanço de 8,1% da receita, considerando-se o câmbio constante. A França inicia o ano com maior impulso do que em 2015, com aumento da receita em 2,0%, devido às divisões de serviços financeiros, bens de consumo e varejo.

Já a região da Ásia-Pacífico e América Latina cresceu 6,4% considerando-se o câmbio constante, com um ambiente econômico que permanece difícil no Brasil, enquanto a região Ásia-Pacífico continua a ser bastante dinâmica.

Para Paul Hermelin, presidente e CEO do Grupo Capgemini, a taxa de crescimento da Capgemini demonstra bom progresso no ano corrente. A empresa diversificou suas fontes de crescimento por meio do fortalecimento de sua presença global e nossas competências setoriais. "Continua a demanda dos clientes por inovação e transformação digital, impulsionando o avanço de nossas atividades de consultoria e serviços para aplicações. Nossas soluções digitais e de nuvem cresceram 28% no primeiro trimestre", disse.

Fonte: TI Inside