Siga o @canaltech no instagram

Faturamento do Twitter tem aumento de 24% no final de 2018

Por Felipe Demartini | 07 de Fevereiro de 2019 às 13h27
Tudo sobre

Twitter

Saiba tudo sobre Twitter

Ver mais

A melhoria na “qualidade” das conversas que acontecem por meio do Twitter foi, para a empresa, a principal responsável pelos bons números exibidos ao final de 2018. Em relatório financeiro divulgado nesta quinta (7), a rede de microblogs exibiu um aumento de 24% no faturamento e crescimento na monetização de usuários por meio de anúncios, algo que, na visão dela, compensou a redução no total de usuários mensais.

Entre outubro e dezembro de 2018, o Twitter teve um faturamento total de US$ 909 milhões, superior aos US$ 665 milhões exibidos no começo do ano passado. Os lucros foram de US$ 255 milhões, também uma cifra em crescimento em relação a dados anteriores, o que, para a plataforma, mostrou que os esforços em tornar o ambiente mais saudável geraram muitos frutos.

Hoje, são 321 milhões de usuários mensais ativos, ou seja, aqueles que utilizam a rede social pelo menos uma vez no mês. É um total abaixo dos 336 milhões reportados no começo de 2018, mas, como o restante dos números mostram, “menos é mais”. A queda no volume veio com um crescimento no que a plataforma chamou de “utilizadores monetizáveis”, ou seja, aqueles que usam a plataforma diariamente e visualizam anúncios na linha do tempo. Esse total aumentou de 124 milhões de pessoas no terceiro trimestre para 126 milhões ao final do ano passado.

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Por mais que os Estados Unidos ainda sejam um mercado preferencial, a balança internacional tem aumentado cada vez mais. Desse total de 126 milhões de usuários que rendem dividendos para o Twitter, 27 milhões estão no país natal da plataforma, enquanto outros 99 milhões estão espalhados pelos outros países do mundo. A renda de publicidade total, por outro lado, é quase equilibrada, com US$ 425 milhões sendo gerados nos EUA contra US$ 366 milhões oriundos do mercado internacional.

Em seu relatório financeiro, o Twitter também deu bastante atenção à queda de 16% nos relatos de abuso dentro da plataforma, uma métrica que acredita ser a chave para alavancar um crescimento ao longo dos próximos trimestres. Uma comunidade mais saudável acaba atraindo mais e mais gente para a plataforma, principalmente quando se leva em conta que sua principal rival é cada vez mais assolada por questões desse tipo e, por mais que tente fazer o que pode, parece estar lutando uma batalha vencida.

Um dos principais focos de trabalho do Twitter para 2019 é agir sobre os casos de abuso antes mesmo que eles sejam reportados pelos usuários. Aí entram em cena sistemas de inteligência artificial que identificam comportamentos suspeitos e agem em prol da comunidade, além de maior controle sobre a criação de contas falsas ou controladas por robôs. O grande alvo são organizações políticas que trabalham não apenas no ataque a adversários, mas também em manipulação e disseminação de notícias falsas.

O Twitter finaliza o relatório afirmando ter se tornado três vezes mais eficiente no controle de usuários maliciosos e no ataque a conteúdos inadequados. A ideia é que os casos de abuso e o uso da plataforma com fins políticos maliciosos seja reduzido cada vez mais a cada trimestre, na mesma medida em que os tempos de incerteza, com quedas no total de usuários e uma flagrante perda de interesse por parte dos usuários, vão sendo deixados para trás.

Fonte: Twitter

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.