Com Brasil em baixa, Sonda IT tem queda em 2016

Por Redação | 03.03.2017 às 12:46
photo_camera Divulgação

A Sonda IT, multinacional latino-americana de serviços em TI, divulgou esta semana seus resultados financeiros para 2016, registrando uma queda de 8,4% em sua receita e problemas em seu faturamento foram do Chile, seu país natal.

No ano, a empresa contabilizou uma receita de US$ 1,219 bilhão, uma diminuição de 8,4 % em seu faturamento consolidado em relação ao ano anterior. O EBITDA (Lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) foi de US$ 145 milhões, 23,4% a menos que em 2015.

Segundo a empresa, a recessão enfrentada pelo Brasil e as flutuações das moedas latino-americanas frente ao peso chileno em 2016 afetaram negativamente os resultados de conversão em moeda local para peso chileno.

A receita das operações fora do Chile chegou a US$ 679,4 milhões, cifra que representa 55,7% do total consolidado, enquanto o EBITDA foi de US$ 54,5 milhões. O volume de negócios fechados no período chegou a US$ 1,064 bilhão, 12,4% menor do que em 2015.

A companhia não abriu seus números sobre o mercado brasileiro, o que mostra que a operação brazuca da companhia pode não estar das melhores. Em seus resultados de 2015, a companhia divulgou uma queda de 10,3% em seus negócios no Brasil.

Por outro lado, as oportunidades de negócios apontadas pela companhia totalizaram US$ 2,840 bilhões, com crescimento de 81,1% em relação ao mesmo período do ano anterior. Vale salientar que o "pipeline" de oportunidades de negócio no Brasil chegou a US$ 1,724 bilhão, o que representa um aumento de 106% se comparado com dezembro de 2015.

De acordo com o CEO da Sonda, Raúl Véjar, os menores resultados de 2016 foram significativamente influenciados pelo complexo cenário político-econômico que atravessa o Brasil, que gerou volumes de negociação mais baixos sobre os contratos existentes e menor demanda por novos contratos.

"Esta situação é diferente do observado nos outros países em que atuamos, nos quais, deixando de fora os efeitos cambiais, as receitas e os resultados permaneceram dentro do volume obtido em 2015, apesar das fraquezas das economias regionais", acrescenta Vejar.

Para o presidente da Sonda no Brasil, Eduardo Borba, o aumento considerado positivo de mais de 100% em oportunidades de negócios no País é um indicador de recuperação do ritmo das operações da empresa. "Esperamos neste ano frutificar as medidas que temos implementando em nossa operação brasileira”, finaliza o executivo.