Apple deve anunciar sua primeira queda em receita desde 2001, dizem analistas

Por Redação | 25 de Outubro de 2016 às 13h03

A fama da Apple de apresentar bons resultados trimestrais é antiga no mercado da tecnologia. No entanto, como tudo que sobe um dia tem que descer, parece que este ano veremos um relatório que tem tudo para ir na contramão da tradição da Maçã. Segundo analistas de mercado, veremos, pela primeira vez desde 2001, um declínio nas receitas anuais da companhia.

Vale lembrar que neste ano a Apple também anunciou a primeira queda nas vendas de iPhones, muito embora não seja sensato culpar o aparelho por conta disso. Acontece que o perfil do usuário e a saturação do mercado são fatores que devemos levar em consideração, uma vez que nem todos que já possuem um modelo relativamente recente do smartphone da Maçã viram no iPhone 7 um motivo para upgrade. Além disso, chegamos a um patamar de saturação no mercado dantes jamais visto pela indústria de smartphones. Sem contar as inúmeras opções de concorrentes, principalmente vindos da China, que entregam bons aparelhos com um preço para lá de competitivo.

Voltando aos números: o VentureBeat faz uma estimativa para este ano. A expectativa é que a Apple feche suas receitas anuais em US$ 215,6 bilhões, o que configuraria uma queda de pouco mais de US$ 18 bilhões em comparação com o ano fiscal de 2015, que a empresa fechou com receita de US$ 233,72 bilhões. Ao que tudo indica, vai mesmo ser um grande marco para manchar um pouquinho a história de louros e glórias da empresa nestes 15 anos.

Entretanto, as vendas do iPhone 7 podem até alegrar os diretores financeiros e acionistas da companhia. Há estimativas positivistas a respeito delas, que podem até nos surpreender no quesito receita anual, segundo rumores... mas não é o que diz o VentureBeat em suas previsões. Aliás, mesmo que as vendas do smartphone mais novo estejam indo bem, ou até mesmo melhor do que o esperado, para os analistas do portal parece bem improvável que elas exerçam um impacto positivo nos números finais, isto é, dificilmente passarão de US$ 18 bilhões.

De qualquer maneira, este ano veremos os lançamentos de uma nova linha de MacBooks, inclusive com um MacBook Air com tela Retina sendo bastante comentado no mundo dos rumores. E mesmo que seja o primeiro ano sem altas da Apple, isso não significa uma luz de alerta acesa no painel, já que estes altos e baixos são mais do que comuns na trajetória das empresas. Quem sabe em 2017 não vemos um iPhone diferenciado para compensar a baixa de 2016?

Com informações do VentureBeat

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!