Tablets conduzem lucro da Positivo Informática para 230% em 2013

Por Redação | 21.02.2014 às 17:48

A venda de tablets fez com que a Positivo Informática registrasse, nos últimos meses do ano passado, um lucro líquido de R$ 30,9 milhões – 230% a mais em relação ao mesmo período do ano anterior. Segundo reportagem do site da Info, dentre o total de equipamentos vendidos pela empresa, 134,1 mil foram só de tablets. O número representa crescimento de 96,6%.

A empresa também registrou aumento nas vendas de outros dispositivos, como notebooks, que totalizaram 476,3 mil unidades vendidas (8,1%); desktops, com crescimento de 16,7% e celulares, cujas somas também registraram aumento: 87,3%, atingindo 97,9 mil unidades vendidas. As cifras da empresa somaram R$ 769,1 milhões no quarto trimestre, com taxa de crescimento anual de 17,9% - tudo motivado pelo crescimento dos tablets e smartphones.

A taxa Ebitda da empresa chegou a R$ 42,2 milhões no período, 57,6% superio em relação ao mesmo período do ano passado. O Ebtida corresponde ao chamado lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização. A Positivo Informática também anunciou que deu continuidade aos repasses de preço, com margem Ebitda de 5,5% no trimestre. O índice corresponde a um avanço de 1,4% na comparação anual. Combinados, os fatores contribuíram para a retomada da rentabilidade no trimestre.

Com os novos resultados obtidos no final do ano passado, a fatia da empresa no mercado brasileiro ficou em 16,1% – crescimento que chega a 1,4% em relação ao quarto trimestre de 2012 e de 2,7% ao terceiro trimestre de 2013. Nos últimos meses do ano passado, a empresa verificou a consolidação de repasses no preço dos computadores por conta do esgotamento dos insumos adquiridos com menor patamar de dólar entre os fabricantes.

Os bons números da Positivo, no ano passado, ajudaram a marca a superar o prejuízo que se acumulou até o mês de setembro. Naquele período, o lucro líquido da empresa chegava a R$ 15,6 milhões. No mesmo período do ano anterior, o lucro da empresa era quase o dobro: R$ 30,2 milhões.