YouTube vai usar algoritmo do Google para destacar vídeos de notícias

Por Wagner Wakka | 09 de Julho de 2018 às 19h40

O YouTube anunciou nesta segunda-feira (9) novo esforços dar mais destaques a bons conteúdos relacionados a notícias mais quentes e imediatas e a fatos históricos da sociedade.

De acordo com reportagem do Mashable, a plataforma vai começar a dar destaque para conteúdos considerando autoridades no assunto. Para fazer esta distinção do que se encaixa ou não neste quesito, a plataforma vai utilizar o sistema de PageRank da Google, que basicamente é o cerne do mecanismo de buscas homônimo.

Assim, antes de indicar um vídeo, o algoritmo deve verificar se a fonte (ou seja, o canal do YouTube e usuário) são citados em outros conteúdos na internet ou mesmo em publicações científicas no Google Scholar. Em suma, o critério não será mais somente a popularidade do autor, mas sim suas referências.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Junto com isso, o YouTube também vai passar a apresentar duas novas abas: uma chamada “Top News” (melhores notícias) e outra “Breaking News” (notícias urgentes). Ambas vão mostrar vídeos relacionados a um tema procurado, sendo que a primeira deve apresentar por ordem daquilo que a plataforma considera ter mais qualidade, enquanto a segunda por sequência cronológica.

Outra novidade da plataforma de vídeos é que ela não só vai apresentar vídeos, mas também algumas notícias no topo da busca, caso o tema ainda seja considerado uma notícia em andamento. Para isso, será listado no topo um resumo da notícia de autoria de veículos de mídia listados no programa de parcerias do Google News.

Plataforma vai incluir notícias escritas de conteúdos confiáveis da Google (Foto: Divulgação)

O YouTube também vai passar a contar com produções de outras empresas terceirizadas para conteúdos oficiais de acontecimentos históricos. Entre as novas parceiras, estão Wikipédia e Enciclopédia Britânica. Assim, caso um usuário procure por vídeos, por exemplo, da missão Apollo 11, antes do resultado de buscas aparece um pequeno resumo de um dos dois parceiros citados para contextualizar o usuário.

Resumo aparece no topo para contextualizar o usuário (Foto: Divulgação)

Já em relação aos Estados Unidos, a rede social também está testando aprimorar a plataforma para que vídeos voltados ao noticiário local tenham mais destaque, tomando como base a geolocalização do usuário. Até o momento, a empresa testa esta ferramenta em aplicativos do YouTube em 25 cidades dos país norte-americano.

Fonte: Mashable

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.