YouTube está desmonetizando vídeos sobre Momo

Por Felipe Demartini | 01 de Março de 2019 às 13h26
Tudo sobre

YouTube

Saiba tudo sobre YouTube

Ver mais

Depois de negar a existência de um ressurgimento do Desafio da Momo, o YouTube começou a desmonetizar vídeos falando sobre o caso. Até mesmo reportagens de canais como CBS, CNN e Fox News tiveram suas publicações atingidas, com pouca ou nenhuma exibição de anúncios. Em alguns casos, avisos sobre conteúdo impróprio também são exibidos aos espectadores.

Em nota, o YouTube confirmou que está adotando suas políticas de conteúdo amigável para anunciantes aos vídeos sobre Momo devido a seu conteúdo perturbador. A ideia é que nenhum deles possa veicular anúncios antes, durante ou depois da exibição, mas em alguns casos ainda é possível ver propagandas aparecendo, indicando buracos nesse tipo de detecção ou apenas uma exibição reduzida de reclames.

Febre assustadora em meados de 2018, Momo seria um espírito atuante por meio do WhatsApp, que saberia tudo sobre a vida daqueles que ousavam entrar em contato com ela. Na época, especialistas em segurança disseram se tratar de uma trollagem bastante elaborada, que envolvia elementos de engenharia social e poderia levar até mesmo a golpes online. A coisa ficou mais séria, entretanto, quando o suicídio de uma menina de 12 anos na Indonésia foi relacionado ao viral, apesar de essa ligação nunca ter sido confirmada pelas autoridades.

Nesse ressurgimento, Momo estaria aparecendo em meio a vídeos infantis aparentemente inocentes. A assustadora imagem da personagem surgiria em meio a palavras que incitam a realização de ferimentos no próprio corpo e também o suicídio. Originalmente, o YouTube disse não ter encontrado nenhuma evidência disso e relembrou sua postura firme contra desafios que causem danos físicos e psicológicos aos envolvidos.

É a segunda vez, apenas nesta semana, que a plataforma se vê envolvida em polêmicas desse tipo. Na segunda-feira (25), veio a público uma denúncia sobre a inserção de clipes incentivando o suicídio em meio a vídeos disponíveis no YouTube Kids, a versão infantil da plataforma que deveria exibir apenas conteúdos adequados e seguros aos pequenos. Na ocasião, a empresa disse estar intensificando os esforços de moderação e ter removido tais conteúdos não apenas da versão do app, mas do serviço como um todo.

Ao mesmo tempo, a desmonetização de vídeos e o desligamento de áreas de comentários têm sido visto por criadores como uma forma de o YouTube desincentivar a publicação de conteúdos que considera inadequados. Assuntos polêmicos estariam recebendo esse tipo de tratamento da plataforma, principalmente após a descoberta de uma rede de compartilhamento de links de pedofilia escondida à plena vista nas áreas de discussão do site.

Em tempo: o mistério envolvendo Momo é tratado por aí como nada mais do que uma lenda urbana. Além do caráter de engenharia social e do perigo à segurança dos usuários já citados, a assustadora imagem da moça com bico de pássaro é de uma escultura do artista japonês Keisuke Aisawa. As mensagens suicidas que a acompanham na nova versão do desafio, entretanto, soam bem reais e, ao contrário do mistério, são capazes de causar sérios danos. Caso precise de ajuda, as pessoas devem procurar ajuda e orientação ligando para Centro de Valorização da Vida (141) ou acessando o site.

Fonte: The Verge

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.