YouTube derruba conta da Infowars pela segunda vez

Por Nathan Vieira | 30 de Agosto de 2019 às 20h30
Tudo sobre

Alex Jones

Saiba tudo sobre Alex Jones

Não é segredo que o YouTube não está medindo esforços para reduzir o conteúdo ofensivo e violento hospedado na plataforma. Na última quarta-feira (28), Susan Wojcicki, a própria CEO do YouTube, resolveu se manifestar por meio de uma carta aberta direcionada aos criadores de conteúdo, onde enalteceu os vídeos informativos e educativos, e enfatizou a importância da responsabilidade. E mesmo com esse assunto quentíssimo, a conta War Room, do Infowars (um site de notícias tendenciosas de propriedade de Alex Jones, com teorias da conspiração e discursos de ódio) tentou voltar para o YouTube na última quinta (29). Resultado? Foi removida pela segunda vez.

No ano passado, o YouTube já tinha removido os canais do Infowars e os vídeos associados por violação das diretrizes da comunidade. Jones, o proprietário do Infowars, também foi banido permanentemente pelo mesmo motivo. Por sua vez, o teórico da conspiração Paul Joseph Watson, que também faz parte do Infowars, ainda está ativo no YouTube, onde possui quase 2 milhões de inscritos.

Alex Jones, proprietário da Infowars

Em sua carta aberta aos criadores de conteúdo, resumidamente a CEO da plataforma de vídeos declarou que é necessário encontrar o equilíbrio entre a abertura e a responsabilidade. "O YouTube foi criado sob a premissa de ser uma plataforma aberta. Com base nisso, criadores de conteúdo como vocês estão contribuindo para uma economia criativa próspera. A política de discurso de ódio e a política de assédio, que serão lançadas em breve, são nossas atualizações mais recentes", escreveu Susan. "É nosso trabalho encontrar o equilíbrio ideal entre abertura e responsabilidade para que as futuras gerações de criadores de conteúdo e usuários garantam o futuro da plataforma", ela completou.

Além disso, a CEO também falou sobre a importância de tomar providências em meio aos conteúdos que violam as diretrizes. "Em longo prazo, o custo de não tomar as medidas necessárias é a perda da confiança dos usuários, de anunciantes e de vocês, nossos criadores de conteúdo. Queremos merecer essa confiança".

Fonte: The Verge e Vice

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.