Vazamento de nudes diminui no Brasil, mas cyberbullying aumenta

Por Redação | 07.02.2017 às 11:38

O vazamento de fotos íntimas sem a autorização das pessoas que aparecem nas imagens é crime, mas isso parece não impedir que vazamentos façam novas vítimas a cada dia. No Brasil, no entanto, parece que este tipo de prática está diminuindo.

De acordo com um relatório da SaferNet Brasil, realizado em parceria com a Polícia Federal (PF) e o Ministério Público (MP), em 2016 foram registrados 301 casos de vazamento de nudes, 6,5% a menos que os 322 registrados no ano anterior.

Apesar da ligeira queda, o número ainda é absurdo se comparado à quantidade de vazamentos de 2012, quando apenas 48 casos foram registrados pelas autoridades. O levantamento faz parte do Dia da Internet Segura, que acontece nesta terça-feira (07) em mais de 100 países.

Para a SaferNet, a responsabilização das empresas como Google e Facebook pelos vazamentos faz com que o número de ferramentas de remoção de conteúdo indesejado aumente. Mas o grande problema fica mesmo por conta da disseminação de imagens íntimas via aplicativos como WhatsApp, onde o controle é muito mais difícil de ser realizado, a menos que haja uma conscientização por parte dos usuários de que eles não devem compartilhar fotos deste tipo, mesmo que tenham recebido de terceiros.

Enquanto o número de vazamentos de nudes caiu, a quantidade de casos relacionados ao bullying/ofensa na internet cresceu em 2016. Em relação à 2015, houve um aumento de 17%, chegando a 312 casos registrados no ano passado.

Fonte: G1