Twitter terá listas de mensagens selecionadas por editores

Por Redação | 19 de Junho de 2015 às 11h43

Na mesma medida em que os usuários veteranos acreditam que as mensagens imediatistas e o volume de conteúdo rápido disponível no Twitter são seus principais destaques, esse mesmo fator também é visto como um empecilho para a entrada de novos usuários e o aumento no engajamento. É por isso que, mais uma vez, a rede social está mudando as coisas e deve introduzir, nas próximas semanas, uma espécie de curadoria de linha do tempo, com editores humanos selecionando os tweets que mais importam sobre determinados tópicos.

A funcionalidade, que deve começar a aparecer ainda neste ano, deve surgir primeiro nos aplicativos móveis do Twitter, principal foco da empresa no momento. A ideia é observar eventos ou assuntos que sejam relevantes em determinado momento – a exibição de um episódio de Game of Thrones, por exemplo, ou um festival musical – e criar listas personalizadas de conteúdo, apenas com as melhores e mais interessantes postagens sobre o assunto.

O objetivo, claro, é aumentar o engajamento dos usuários, permitindo que eles permaneçam mais tempo na plataforma, a utilizem mais e, acima de tudo, encontrem pessoas interessantes para seguir. É nesse último aspecto, inclusive, que está o principal destaque da novidade, já que o uso de linhas do tempo selecionadas é um aspecto corrente da plataforma para novos usuários e parece ter dado certo, levando em conta que o Twitter está levando a ideia adiante.

Para os usuários velhos de guerra, também há vantagens. Com a curadoria, a rede social garante que o utilizador vai encontrar informação sobre um determinado tópico. Quem utiliza a busca ou procura por uma hashtag, conhece a chuva de mensagens copiadas ou com links falsos que normalmente permeiam esse tipo de uso. Mais um motivo pelo qual a seleção manual de usuários deve ser uma boa, já que exclui totalmente esse caráter e mostra apenas aquilo que interessa.

Além de acessar uma linha do tempo específica, o usuário também vai poder seguir um evento como se ele fosse um usuário e ter a curadoria de conteúdo aparecendo em meio às postagens convencionais dos usuários seguidos, mais ou menos como os RTs de hoje. A indicação de que um acontecimento está sendo trabalhado “ao vivo” será feita pela imagem de um raio ao lado das mensagens. Daí o nome da iniciativa, inclusive, que se chama Project Lightning.

Esse tipo de curadoria de conteúdo, inclusive, está se tornando uma constante no mundo da tecnologia. Outras redes sociais como o LinkedIn e o Snapchat, por exemplo, já contrataram ou estão no processo de trazer para dentro de sua estrutura pessoas especializadas em selecionar conteúdos para os usuários, de forma a aumentar o engajamento. Isso sem falar no Apple News, um sistema de leitura que estará disponível nos novos sistemas operacionais da Maçã e funciona basicamente da mesma maneira.

Para as empresas de tecnologia, o uso de um algoritmo não é o melhor caminho para a curadoria de conteúdo, uma vez que o usuário pode estar em busca de algo novo e não mais do mesmo. É essa a maior crítica feita, por exemplo, ao Facebook, que utiliza sistemas automatizados para determinar o que aparecerá na linha do tempo dos usuários e, como todo mundo sabe, eventualmente mostra postagens antigas no lugar de atualizações recentes.

O Project Lightning deve entrar em vigor primeiro para os usuários dos Estados Unidos. Não se sabe, porém, exatamente quando isso vai acontecer.

Fonte: Wired

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.