Twitter pode vender Vine em vez de desligar a plataforma

Por Redação | 07 de Novembro de 2016 às 21h26
photo_camera Divulgação

Na última semana, o Twitter pegou muita gente de surpresa ao anunciar o desligamento de sua plataforma de vídeos curtos, o Vine. Mas parece que ainda há chances de sobrevivência para o serviço, já que a empresa está tentando vendê-lo, em vez de desligá-lo por completo.

Segundo o TechCrunch, o Twitter está analisando uma papelada de documentos de diversas empresas interessadas em comprar o Vine, e "espera fazer negócios em breve". Não se sabe, no entanto, quais empresas são essas, mas segundo rumores, a japonesa Line, responsável por um app de mensagens de mesmo nome muito famoso lá fora, está inclinada a dar um lance.

Uma fonte, aliás, diz que algumas ofertas têm valor abaixo de US$ 10 milhões, o que indica que o Twitter não deve gerar tanta receita assim com a venda da plataforma. Entretanto, o Vine ainda pode gerar, indiretamente, algum benefício para o Twitter, mesmo se for vendido. Acontece que o conteúdo da rede de vídeos é integrado com a timeline da rede de microblogs — o que vem para reforçar as constantes buscas do Twitter para oferecer mais vídeos e atrair mais usuários.

Agora, se o Vine não for vendido, o Twitter pode mesmo acabar com ele já nos próximos meses. O site do serviço vai ser mantido no ar, ou seja, quem quiser assistir aos vídeos já colocados na plataforma pode acessá-la a qualquer momento, e inclusive baixar o que achar interessante. Apenas a criação de novos vídeos estará impossibilitada após o desligamento.

Com informações do TechCrunch

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!