Twitter apresenta primeiro relatório financeiro de 2016; receita cresce 36%

Por Redação | 27.04.2016 às 11:40

O Twitter divulgou nesta terça-feira (26) seu primeiro balanço financeiro de 2016 referente ao primeiro trimestre do ano. De janeiro a março, a rede social apresentou receita de US$ 595 milhões, um aumento expressivo de 36% na comparação com o mesmo período de 2015, mas ainda assim abaixo da expectativa.

O investimento da companhia em publicidade também aumentou 37%. De acordo com pesquisa da eMarketer, o Twitter vai gerar US$ 2,6 bilhões em publicidade digital, um aumento de 31% comparado com 2015. Porém, Facebook e Google ainda são mais atraentes como plataforma de anúncios e apresentam retorno de investimento superior que a plataforma de microblog.

Mesmo com dados positivos, a empresa continua no prejuízo, já que aparentemente as medidas adotadas por ela para melhorar sua imagem frente ao mercado não foram muito eficazes.

Desde o ano passado a rede de microblogs vem se esforçando para mudar e atrair novos usuários. O lançamento do Moments, uma aba simples para navegar pelos melhores tweets, propagandas na TV, ferramentas melhoradas de denúncia de abuso na rede, novo algoritmo de organização dos tweets na timeline, troca de "favoritos" por "likes", mensagens diretas mais longas, enquetes, Periscope integrado a timeline e até a troca do CEO fazem parte de uma estratégia para mudar o cenário estagnado que a empresa atravessa.

Muitas dessas mudanças foram bem recebidas pelos usuários. E ainda não dá para dizer que o Twitter deixou de ser relevante, mas infelizmente o crescimento no número de usuários foi pequeno se comparado a concorrentes como Facebook. No fim de março, o site do passarinho contava com 310 milhões de usuários ativos, crescimento de apenas 3% frente aos resultados do mesmo período em 2015. O acesso via dispositivos móveis representa 83% do total, o que representa o domínio de dispositivos mobile no acesso à rede social.

O Twitter de hoje já sofreu algumas mudanças radicais, e nada se parece com o que era há alguns anos. Apesar disso, ele continua sem gerar lucro e atrair usuários. Mesmo após um ano de mudanças, dá para perceber que os problemas do Twitter são grandes.

Fonte: The Verge