Twitter anuncia novas medidas contra spam, robôs e discurso de ódio

Por Felipe Demartini | 27 de Junho de 2018 às 09h53
photo_camera Divulgação
TUDO SOBRE

Twitter

O Twitter anunciou nesta quarta-feira (27) uma série de medidas voltadas para a luta contra os spams, os robôs e todo tipo de comportamento malicioso ou discurso de ódio em sua plataforma. As novas atitudes fazem parte de um compromisso da rede social com a saúde de seu ecossistema e seus usuários, com melhorias nos sistemas de identificação de contas falsas e novas exigências na hora da criação de perfis, entre outras ações.

A principal delas usará a mão-de-obra automatizada contra os sistemas de spam, mensagens automáticas de cunho político ou robôs que alimentam serviços de seguidores falsos. Com um sistema mais aprimorado, a rede social espera ser capaz de identificar até mesmo bots “dormentes”, bem como aqueles em que um bom trabalho de ocultamento foi feito, por meio da análise de histórico de mensagens enviadas, aplicativos conectados à conta e outras características comuns em perfis dessa categoria.

Essa medida de segurança já está em vigor desde maio e teria levado a um aumento significativo no número de identificações e bloqueios. No último mês, foram 9,9 milhões de contas potencialmente irregulares identificadas na rede social, contra 6,4 milhões em dezembro de 2017 e 3,2 milhões em setembro do ano passado.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

A partir de agora, também, os usuários serão obrigados a utilizarem um e-mail válido ou número de celular na hora de se cadastrarem no Twitter. É uma medida comum e que não impediu o problema em outros serviços ou redes sociais, mas que a empresa reconhece como uma dificuldade tradicional à existência de fakes, bem como mais um acessório para alimentar os sistemas de identificação automática, que também serão capazes de reconhecer credenciais ou informações suspeitas.

Auditorias sobre aplicativos vinculados ao Twitter também serão realizadas e, aqui, o foco são os esquemas de seguidores pagos, em que o usuário troca uma determinada quantia em dinheiro por um aumento significativo nas métricas de seu perfil. Nesse sentido, a rede social vai ficar de olho em perfis que seguem gente de diferentes perfis e idiomas de forma sucessiva, bem como ações relacionadas a logins em massa ou outras atitudes reconhecidas daqueles que realizam esse tipo de trabalho.

A medida, nesse caso, será a suspensão e banimento. Sendo assim, o Twitter já avisa que alguns usuários, mesmo aqueles que não utilizam tais serviços, devem ver seus números caindo levemente, já que uma das formas de dar uma aparência real aos bots é, justamente, seguir uma série de perfis antes da inclusão em uma rede desse tipo. Unido às postagens automáticas de atos do cotidiano e fotos comuns, fica a impressão de que aquela é uma pessoa comum, não um robô.

Outras atitudes comuns dos robôs de spam é lotar a linha do tempo com mensagens repetidas usando as mesmas hashtags, links para sites ou informações, além de enviar respostas a usuários sem texto acompanhando. Ainda, a plataforma está de olho em publicações repetitivas de maneira geral, principalmente entre contas que não se seguem mutuamente, outra característica comum de bots políticos, que utilizam o sistema de busca para encontrar discordantes e enviar ofensas ou ataques diretos.

Com o tempo, a ideia do Twitter é garantir que, nos bastidores, todas as contas novas passem por processos automatizados e instantâneos de verificação, a maioria invisíveis aos usuários comuns, mas que serão capazes de identificar robôs ou perfis suspeitos. Mais uma vez, os números estão no alto, com a iniciativa impedindo a criação de cerca de 50 mil usuários falsos ou irregulares todos os dias.

Ao anunciar as novas medidas, o Twitter afirma que a ideia é garantir uma postura proativa contra problemas desse tipo, garantindo que eles sejam identificados antes mesmo de uma denúncia por parte de um usuário. Além disso, em comunicado oficial, a empresa afirmou que um time de técnicos e analistas também estará à disposição para avaliar eventuais falsos positivos, além de sistemas automatizados que também farão isso.

Apesar disso, a companhia deixa claro que, em sua maioria, os usuários legítimos não devem ser afetados pelas mudanças. O uso comum do Twitter, por si só, já é suficiente para garantir que não exista uma identificação errônea nesse sentido, assim como outras características como o uso de sistemas de autenticação em dois fatores ou por meio de chaves USB (outra novidade para a plataforma).

Fonte: Twitter

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.