Testamos o WhatsApp GB | Afinal, é seguro ou é roubada?

Por Wagner Wakka | 23 de Agosto de 2018 às 17h14

Recentemente, um "clone" do WhatsApp vem virando febre entre usuários de apps mensageiros: o GBWhatsApp ou WhatsApp GB. Ele não é um aplicativo exatamente novo, mas tem atualizações frequentes e emula de forma exatamente igual o mensageiro comprado pelo Facebook, oferecendo algumas ferramentas atrativas a mais.

Segundo o site oficial do programa, “o GBWhatsapp é uma versão modificada do WhatsApp com os recursos mais recentes e novos” e que oferece uma “experiência mais avançada” da rede social.

Ainda, o app é descrito como um MOD (de modificação) do WhatsApp, mas com “funcionalidades e instalação simples”; sendo que “não há necessidade de qualquer login. Sem problemas de segurança, mas com todas as opções de privacidade”, conforme aponta a plataforma.

Entre as principais funções deste “modelo” estão opções de cancelamento para várias mensagens, capacidade de enviar vídeos maiores e até senha para acesso do programa. Outro atrativo é poder ter confirmação de recebimento (com os dois tracinhos azuis) sem que outras pessoas recebam os seus.

Programa oferece uma série de ferramentas que o WhatsApp convencional não tem (Foto: Ares Saturno/Canaltech)

Ou seja, as várias funcionalidades a mais podem fazer crescer os olhos diante da modificação do programa. Contudo, estas mordomias podem custar muito caro em termos de segurança.

Primeiro, porque estas “facilidades” de uso têm um porém. O WhatsApp GB é capaz de se conectar ao seu WhatsApp convencional e pegar toda a sua lista de contatos. Diferente do Telegram, por exemplo, em que é preciso que um contato também baixe o programa, o WhatsApp GB permite que você converse com pessoas que instalaram o app convencional, de forma muito conveniente.

A questão é que, para conseguir isso, este programa quebra uma série de barreiras de segurança e elimina a criptografia de ponta a ponta, que protege e privacidade de suas mensagens.

Outra questão importante é que o WhatsApp GB não faz parte da loja oficial da Google, sendo que é preciso baixar uma APK externa para instalar o programa. Isso significa que o software não passa por nenhuma das verificações da Google Play sobre segurança e privacidade, podendo expor seu aparelho a ameaças.

Instalação da APK exige que usuário mude configuraões de segurança (Foto: Ares Saturno/Canaltech)

Junto disso, vale perceber que, embora se busque baixar a aplicação em sites em português, o link original da APK é vem de um site de origem árabe sem qualquer certificação de segurança.

Assim, se só a ação de baixar um programa fora da loja da Google Play já pode ser perigoso, fazê-lo de um site cuja origem você desconhece é pior ainda.

Alerta de perigo

A primeira recomendação é simplesmente não instalar este programa. Embora algumas funções que ele oferece sejam atrativas, como as citadas neste texto, tais benefícios não compensam o risco e exposição a que seu smartphone é submetido.

Segundo pesquisa da Kaspersky Lab, quase 40% dos consumidores brasileiros não ligam para o contrato de licença do aplicativo ao instalá-lo. Sabendo disso, pessoas maliciosas acabam usando deste tipo de subterfúgio para conseguir acessos a dados pessoais.

Outro ponto que este mesmo estudo levanta é que quase 15% não leem as mensagens de instalação desses programas, dando permissão de acesso a dados importantes e expondo a privacidade.

APK é oriunda de site árabe sem certificação de segurança (Foto: Ares Satruno/Canaltech)

Para o WhatsApp GB, por exemplo, é preciso dar permissões de lista de contatos, acesso a fotos, câmera e outras informações sensíveis. Uma das permissões, por exemplo, é de “adicionar ou remover contas, criar contas e definir senhas, encontrar contas no dispositivo, ler configurações de serviço da Google”. Em suma, dar grande liberdade de acesso ao seu smartphone.

Contra isso, é sempre melhor perder um tempinho vendo o que um programa pede de permissões e não clicar em “avançar" de forma ser fazer uma verificação.

Programa pede uma série de acessos que podem expor o dispostivo (Foto: Ares Saturno/Canaltech)

Caso você tenha já instalado este programa, a recomendação é que o retire do seu smartphone e troque as senhas caso elas sejam relacionadas a informações básicas como datas de nascimento, número de telefone ou algo assim. É dessa forma, fazendo o pareamento de informações pessoais, que uma pessoa mal intencionada pode quebrar este tipo de segurança.

Por fim, este fenômeno só mostra que há muita coisa ainda que gostaríamos de ver melhor no WhatsApp. Basta esperar que o Facebook olhe para estas funções com carinho.

Fonte: WhatsApp GB

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.