Governo pede colaboração do Facebook nas investigações do atirador de Orlando

Por Redação | 17 de Junho de 2016 às 14h10
photo_camera Divulgação

No último domingo (12), o mundo ficou estarrecido com mais um atentado com armas acontecido nos Estados Unidos. Desta vez, um homem entrou armado em uma boate gay na cidade de Orlando e matou 49 pessoas, além de ferir outras dezenas. O atirador Omar Mateen, posteriormente foi morto em confronto com a polícia.

Agora, sabe-se que Mateen realizou diversas postagens no Facebook durante o massacre. Isso levou o presidente da Comissão sobre Segurança Nacional e Assuntos de Governo do Senado dos Estados Unidos, o senador Ron Johnson, do Partido Republicano, a enviar uma carta para Mark Zuckerberg a fim de solicitar a colaboração da rede social durante as investigações do caso.

Segundo Johnson, Mateen fez inúmeras postagens em cinco perfis diferentes do Facebook. Conforme registra a carta enviada ao fundador da rede social, o atirador teria feito postagens denunciando “os costumes imundos do ocidente”, afirmando que as pessoas “sentiriam o gosto da vingança do Estado Islâmico” e avisando que mais ataques aconteceriam nos dias seguintes.

Além disso, o senador dos EUA informa que Mateen teria procurado por repercussões online de seu atentado momentos antes de ser morto e, em meses anteriores, teria procurado informações sobre o atentado de San Bernardino e também sobre discursos de Abu Bakr al-Baghdadi, autointitulado chefe de estado e monarca absoluto teocrático (califa) do autoproclamado Estado Islâmico. Johnson alega ainda que o atirador teria usado o Facebook para pesquisar informações sobre policiais e outros oficiais da lei.

Desta forma, o senador espera que o Facebook ofereça “dados sobre as atividades do senhor Mateen em sua conta e em suas contas afiliadas no Facebook, incluindo, mas não limitado a, registros de atividades, informação da timeline, mensagens privadas, fotos e postagens”. Ron Johnson solicita que o Facebook libere tais informações até o dia 29 deste mês.

Confira a carta na íntegra:

Johnson Facebook Letter

Via Mashable

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.