Reddit bane dois de seus fóruns mais populares após atentados na Nova Zelândia

Por Rafael Arbulu | 18 de Março de 2019 às 08h20
(Captura de Imagem: Rafael Arbulu)

Os subfóruns “r/watchpeopledie” e “r/gore” do Reddit foram descontinuados pela empresa após críticas nas redes sociais atacarem-na pela exibição contínua dos vídeos gravados pelo atirador que invadiu duas mesquitas na Nova Zelândia, abrindo fogo e matando 49 pessoas e ferindo outras 20 em graus variados de gravidade. O “r/watchpeopledie”, particularmente, absorveu a maior parte das críticas após o seu moderador recusar-se a tirar o vídeo do ar.

“Desculpem, pessoal, mas vamos travar essa thread por questão de necessidade. O vídeo segue aqui até que alguém nos censure. Este vídeo está sendo ‘limado’ da maioria das grandes redes sociais mas temos esperança de que o Reddit acredite em deixar vocês decidirem se querem ou não ver a realidade sem filtros. Independente do que você acredite, essa é uma visão objetiva sobre um terrível incidente. Lembrem-se de amarmos uns aos outros”, disse o post do moderador, antes de o subfórum ser banido.

Foi apenas após pedido e intervenção da polícia da Nova Zelândia que o vídeo em questão foi removido e os subfóruns, agora, mostram o símbolo de “ban” quando acessados. Sobre o isso, o moderador disse: “A thread caiu porque a polícia da NZ (sic) pediu pela remoção do vídeo e os links da thread passaram a dar erro. Desculpem. Não é legal como as ‘autoridades’ possam decidir o que você pode ou não assistir? Independente do que você acredite, o vídeo simplesmente mostrava a realidade objetiva do que pode acontecer quando uma pessoa de fato louca se vê envolvida em toda essa m****. E, bom… Eu acho que a realidade objetiva é muito boa para basear as suas crenças”.

O Reddit emitiu comentário sobre a exclusão de ambos os subfóruns: “Nós somos muito claros em nossos termos de serviço, indicando que a postagem de conteúdo que incite ou glorifique a violência fará com que usuários e comunidades sejam banidos do Reddit. Subreddits que falhem em aderir às nossas regras também serão banidos”.

Nos últimos dias, o Canaltech mostrou que as plataformas sociais mais conhecidas, como Facebook e YouTube, estavam amplamente dedicadas a remover o vídeo em questão, uma transmissão ao vivo dos assassinatos cometidos pelo atirador, que teceu diversos comentários durante seus ataques: ele identificou-se como “fascista” ao longo do vídeo, e declarou que a diversidade cultural é a fraqueza de países como o Brasil. O primeiro-ministro australiano, o conservador Scott Morrison, descreveu o atirador, que tem cidadania australiana, como “um terrorista extremista da direita”. Já a primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, chamou o episódio de “atentado terrorista”.

Em sua transmissão, o atirador fez diversas referências, citando jogos como Spyro The Dragon e mencionando a ativista política conservadora dos EUA, Candace Owens. Ele também brincou, pedindo que os seus espectadores assinassem o canal de Felix “PewDiePie” Kjellberg. O youtuber dono do segundo canal mais popular do mundo, que já esteve envolvido em problemas por postagens antisemitas que ele próprio chamou de “sátiras”, publicou posts em suas contas oficiais: “Acabei de saber dos relatos devastadores vindos de Christchurch, Nova Zelândia. Eu me sinto absolutamente enojado de saber que meu nome foi proferido por essa pessoa. Meu coração e preces estão com as vítismas, famílias e todos os afetados por essa tragédia”.

Fonte: The Daily Dot

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.