Por quais motivos excluimos amigos do Facebook? A ciência explica

Por Redação | 08.07.2016 às 08:23
photo_camera Divulgação

É bastante comum cultivarmos centenas de amigos no Facebook, sendo grande parte deles pessoas distantes com as quais quase não temos contato. De acordo com uma pesquisa realizada, os usuários da rede social têm, em média, 338 amigos online, mas as interações são feitas com um número bem menor do que esse.

Pensando em todas essas conexões, pesquisadores da Universidade do Colorado, nos Estados Unidos, resolveram estudar os motivos pelos quais desfazemos algumas amizades no Facebook, entrevistando mais de mil usuários para chegar a uma conclusão.

Segundo os resultados da pesquisa, o maior motivo para acabar com uma relação virtual é o passar do tempo. Durante as avaliações, foi descoberto que amigos da época do colegial representam a maior parte das relações de amizade pela rede social desfeitas. Mas por quê?

Christopher Sibona, líder da pesquisa, afirma que isso acontece por dois motivos principais: postagens de conteúdos sobre política e religião ou de temas irrelevantes. "É possível que, no colegial, as pessoas não soubessem as posições políticas e religiosas umas das outras. Também é possível que um deles (ou ambos) tenha mudado suas visões desde aquela época", diz o cientista.

Para além dessas possibilidades, outra razão também foi levantada. Muitos dos amigos do Facebook são adicionados apenas por questões de "vigilância social". Assim, ao compartilhar de um mesmo contexto social, como estudar na mesma escola ou trabalhar na mesma empresa, torna-se interessante monitorar o que os colegas estão fazendo. Porém, a partir do momento em que o ciclo destes locais se encerra, seja a saída do colégio ou do emprego, manter esse tipo de vínculo se torna desinteressante, afinal não há mais um contexto social em comum que conecte as duas pessoas.

Mas não são apenas os amigos da época de colégio que estão entre os principais alvos do botão de "desfazer amizade". De acordo com a pesquisa, os colegas de trabalho também representam grande parte dos cortes, e as razões, em sua maioria, estão relacionadas a problemas no próprio ambiente corporativo. No geral, quando se tem algum problema na vida real, é provável que os usuários deletem o colega de trabalho da rede social. Isso significa que a relação da realidade está abalada, e que o corte vem apenas como consequência do desentendimento.

Ainda conforme os dados obtidos pelo estudo, outros fatores acabam influenciando o término das relações, como idade e gênero. Sibona destaca que pessoas mais jovens deletam mais amigos que os mais velhos, geralmente por serem menos tolerantes a conteúdos que não interessam. Além disso, os homens são menos pacientes que as mulheres, sendo responsáveis pelo maior número de amizades desfeitas no Facebook.

O objetivo dos cientistas, a partir de agora, será tentar determinar o ciclo da amizade, buscando compreender como a relação começa, quando chega ao fim e qual é o seu tempo de duração. Por que será que algumas amizades sobrevivem a crises, por exemplo com os conteúdos políticos que invadiram a internet nos últimos meses, e outras não?

E você, já excluiu algum amigo do Facebook? Quais foram os motivos?

Fonte: Exame