Petição online reúne mais de 150 mil assinaturas contra o novo feed do Instagram

Por Redação | 18 de Março de 2016 às 12h18

Para o bem ou para o mal, seu Instagram vai mudar em breve. Nesta semana, o Facebook anunciou que, assim como já acontece no site de Mark Zuckerberg, a rede social de fotos passará a ordenar publicações por relevância. A decisão foi motivo suficiente para milhares de usuários organizarem uma petição online que pede o fim dessa futura atualização.

No site Change.org, uma campanha lançada recentemente já conta com mais de 150 mil assinaturas (70 mil só nas primeiras 24 horas) de usuários que não querem que o Instagram abandone a exibição de postagens na ordem cronológica. Para os organizações da petição, a mudança terá um grande impacto negativo não apenas para os usuários comuns, mas também para as pessoas que usam a plataforma para fins de trabalho, como artistas e pequenos negócios, além de comunidades inteiras construídas através do aplicativo.

"O Instagram nos avisou que ouvirá nosso feedback para tomar a decisão certa. Então, se você não quer que sua timeline seja exibida em uma ordem na qual você não tem controle algum e prefere um feed no formato cronológico atual, ou, pelo menos, tenha a opção de escolher o tipo de feed que você deseja, por favor assine a petição. Assim o Instagram pode tomar nosso feedback", diz a mensagem na página da petição online.

"Somos usuários do Instagram e não queremos ser forçados a ter nossas timelines exibindo conteúdo em uma ordem escolhida por um algoritmo. Queremos ter pelo menos a capacidade de optar em manter nosso feed em ordem cronológica", completa a página.

Desde que muitos usuários se manifestaram contra as mudanças, o Instagram ainda não se manifestou. A rede social disse anteriormente que está ouvindo o que a comunidade tem a dizer, mesmo sem se posicionar se atualizações como esta, que podem mudar a forma como os milhões de usuários utilizam o app, são definitivas. Em todo o caso, é estranho o Instagram querer adotar esse algoritmo. Afinal, os usuários é que escolhem os perfis que realmente acham interessante seguir, ou seja, eles só visualizam aquilo que acham interessante – com base nas pessoas seguidas.

O Instagram é apenas mais uma das plataformas sociais que pretende adotar um sistema de exibição baseado naquilo que pode ser mais relevante para o usuário. O Facebook já utiliza esse método há algum tempo, e há um mês o Twitter também aderiu a novidade. A diferença é que no microblog, pelo menos por enquanto, essa opção não é obrigatória e, embora tenha tornado o recurso ativo por padrão, a empresa não deu sinais de que pretende torná-lo algo definitivo.

Fonte: Ubergizmo via Change.org