O sobe e desce no ano fiscal de 2015 do Twitter

Por Redação | 28.12.2015 às 13:02
photo_camera Divulgação

Este não foi um ano fácil para o Twitter. Ao longo de 2015, a empresa viu sua receita aumentar, o crescimento no número de usuários enfraquecer e suas ações ficarem abaixo do preço da IPO.

O desempenho financeiro forte, a incapacidade de aumentar sua base de usuários e a mudança de CEO foram os principais destaques do ano fiscal da rede de microblog. Os números da empresa explicam como tudo isso influenciou a parte financeira da companhia.

Após sua Oferta Pública Inicial, as ações do Twitter chegaram a ser negociadas a US$ 73,31, mas este ano elas caíram a ponto de serem cotadas abaixo do preço de IPO, quando os papéis da empresa custavam US$ 26. Mas em dezembro de 2015 as ações atingiram o valor mais baixo da história: US$ 22.

Ações Twitter

O desempenho financeiro do Twitter em 2015

O desempenho financeiro do Twitter tem sido considerado uma das chaves para o sucesso da empresa de rede social. Ao longo de sua história, a companhia apresentou um forte crescimento de receita, atingiu as expectativas do mercado e rentabilizou sua base de usuários. Confira o histórico das receitas do Twitter:

  • 1º trimestre de 2015: US$ 436 milhões, um aumento de 74% em relação ao ano anterior.
  • 2º trimestre de 2015: US$ 502 milhões, um aumento de 61% em relação ao ano anterior.
  • 3º trimestre de 2015: US$ 569 milhões, um aumento de 58% em relação ao ano anterior.

Embora a empresa tenha feito a lição de casa ao monetizar sua atual base de usuários, o futuro não é muito animador; e o argumento é simples: se o Twitter não consegue aumentar seu quadro de usuários ativos, eventualmente ele não poderá aumentar sua receita.

Ao assumir a presidência executiva do Twitter, após a saída de Dick Costolo do cargo, Jack Dorsey disse que não estava satisfeito com o crescimento do público da rede social. Isso não significa que a base total de usuários da rede de microblog está estacionada, mas muitas pessoas podem estar com suas contas paradas.

Durante o terceiro trimestre de 2015, a rede social ganhou apenas 4 milhões de usuários mensais ativos, ficando com um total de 320 milhões de usuários ativos no ano. Durante o segundo trimestre, o Twitter conseguiu adicionar 8 milhões de usuários mensais ativos. No entanto, muitos dos novos usuários são de fora dos Estados Unidos, algo que desagrada os investidores.

O interesse por usuários norte-americanos se deve ao fato do Twitter ganhar mais dinheiro com anúncios exibidos para este público. Por isso, o crescimento no número de usuários é fundamental para a rede social, visto que a receita da empresa depende diretamente da quantidade de internautas que veem anúncios. Agora, a estratégia é testar novos produtos para aumentar o engajamento em sua plataforma.

Em suma, enquanto a receita do Twitter aumentou, sua base de novos usuários e o preço de suas ações caíram. Não é possível afirmar se os investidores estão sendo muito duros com o Twitter, mas a pergunta que não quer calar é se a empresa vai conseguir reforçar sua monetização sem diminuir o interesse dos criadores de conteúdo chave da rede social.

Via Tech Crunch