O que fazer se o Facebook acabar?

Por Colaborador externo | 02 de Janeiro de 2017 às 13h47

Por Camila Porto*

Confesso que já me fiz essa pergunta diversas vezes, e recentemente tenho recebido essa dúvida de outras pessoas também. Afinal, muita gente tem receio de investir no Facebook, pois assim como outros canais de divulgação, ele também pode acabar, como já tivemos diversas plataformas que fecharam e outras que poderão fechar no futuro. Isso é normal!

Sinceramente, eu acredito que o Facebook não irá acabar tão cedo. Ele está sendo desenvolvido para durar muito tempo e atualmente a importância que ele tem no dia a dia tanto das pessoas, como das empresas, é um indicador de que ele realmente terá uma vida longa, então eu não teria esse receio. Mas se você ainda tem um pé atrás, eu tenho algumas reflexões importantes para apresentar.

Para quebrar esse medo, é preciso entender que quando investimos em determinado canal, nós estamos melhorando o nosso posicionamento no mercado e agregando valor para a nossa marca. Esse é o ponto chave: você não está investindo necessariamente no Facebook, mas em uma plataforma, que pode ser qualquer outra, como TV, rádio ou jornal, por exemplo, e isso irá melhorar a sua audiência.

Ao conseguir uma boa audiência, não importa para onde você vá, as pessoas irão te seguir, pois elas querem saber do seu trabalho e querem consumir o seu conteúdo. Assim, quando você utiliza algum canal que gera valor positivo para as pessoas, mesmo se algum dia o Facebook acabar, elas irão te acompanhar onde você for. Portanto, o segredo é fazer com que as pessoas sintam a sua falta e precisem do seu conteúdo.

Outra questão importante é seguir o famoso ditado: nunca coloque todos os ovos na mesma cesta. Eu, por exemplo, não tenho apenas conteúdo no Facebook, ele está distribuído em diversas plataformas como blog, e-mail, Youtube, Podcast, justamente para não colocar todos os ovos na mesma cesta.

Eu já tive uma página no Facebook com cerca de 12 mil fãs e essa conta simplesmente foi deletada por um motivo que até hoje desconheço, algo a que todos estamos sujeitos, já que sempre pode dar algum tipo de problema. O que eu fiz? Bom, primeiramente fiquei desesperada para saber o que havia acontecido, mas o que me tranquilizada era saber que eu tinha um blog e uma lista de e-mails. Assim, quando eu criei uma nova página, eu informei as pessoas através dessas outras plataformas. Claro que não foi legal, mas isso pode acontecer e nós precisamos estar prontos, sempre tendo uma carta na manga. Portanto, nunca tenha apenas uma plataforma de conteúdo: é como ter um arquivo muito importante e sempre salvar em dois ou até três lugares diferentes: se algum arquivo for corrompido ou perdido, você estará seguro. Esse é o raciocínio. E lembre-se: quando o seu conteúdo é bom e gera o interesse das pessoas, elas irão te acompanhar em qualquer rede social, seja ela qual for.

*Camila Porto é autora do livro “Facebook Marketing: Como gerar negócios na maior rede social do mundo”.

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.