O Orkut "voltou", mas você precisa tomar muito cuidado com isso

Por Redação | 12 de Julho de 2017 às 10h54

Uma onda nostálgica tomou conta da internet no início desta semana. E não é para menos, já que um dos maiores ícones dos anos 2000 ressurgiu das cinzas, para a alegria dos usuários mais saudosistas. Sem qualquer tipo de anúncio ou preparação, o Orkut retornou e deixou muita gente empolgada e, ao mesmo tempo, desconfiada.

É claro que essa volta do “pai de todas as redes sociais” — ao menos para os brasileiros — fez com que muita gente corresse para se cadastrar para voltar às clássicas comunidades e interagir com os amigos por meio de scraps e depoimentos que jamais deverão ser aceitos. Só que, ao mesmo tempo, muita gente começou a suspeitar desse retorno inesperado. E não sem razão.

O primeiro ponto é que a Google simplesmente não falou nada sobre isso. Mesmo com o Google+ entregue às moscas, a empresa segue apostando na plataforma e certamente faria algum tipo de anúncio para revelar o retorno do velho Orkut como alternativa de interação. E isso nunca aconteceu.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Visual é o mesmo dos anos 2000

Outra suspeita levantada foi a partir do próprio domínio. Ao invés do velho Orkut.com, a nova versão da rede social voltou com Orkut.li, o que dá razão de sobra para que você ficar com os dois pés atrás. Mas qual a verdade por trás desse retorno?

Cuidado onde entra

Se o endereço é a principal causa de desconfiança, ele também é nossa principal pista para descobrir a veracidade ou não desse Orkut. E basta uma rápida pesquisa na plataforma Whois, usada para identificar registros de domínios, para descobrir que a única coisa original no site é o seu layout antigo.

Como a página revela, o dono do site é o paulistano Murillo Fagá. E o mais curioso é que o registro foi feito há mais de uma década, em 4 de agosto de 2006. Na data, o Orkut estava em seu auge e ainda era a rede social mais usada no Brasil. Mas por que ele só voltou a ser visitado agora?

Links para os termos de uso não funcionam

É difícil dizer com exatidão como ele foi descoberto só agora, 11 anos após a sua criação. No entanto, o ponto é que muita gente tratou essa volta repentina como legítima e se cadastrou sem pensar duas vezes. Muita dessa confiança se deu pelo fato de o site usar um protocolo HTTPS, que supostamente garante mais segurança. O problema é que qualquer pessoa pode criar esse tipo de certificado — o que, no fim, faz com que ele não valha nada.

Me cadastrei, e agora?

A princípio, não há nenhum problema em fazer um cadastro nesse Orkut de araque. Alguns navegadores já bloqueiam o acesso imediato à página por identificá-la como um clássico caso de phishing — o que é a mais pura verdade —, mas isso não vai comprometer a sua segurança. O problema é o que você vai fazer após entrar no site.

Registro do domínio revela verdadeiro dono do site

Vários relatos apontam que, após ter concluído o cadastro, o site pede para que você faça uma integração com a sua conta do Facebook. E isso, por si só, é muito estranho, já que estamos falando de plataformas que deveriam ser concorrentes e que não faria o menor sentido integrá-las. Para completar, você nem pode fazer essa integração com sua conta Google, o que é ainda mais ilógico.

Mais do que isso, quando você autoriza essa comunicação, libera uma série de permissões para que o falso Orkut verifique informações pessoais suas.

Por isso, a recomendação é que você não tente integrar suas redes sociais dentro desse Orkut.li. Caso você já tenha feito isso, mude todas as suas senhas, passe um antivírus de confiança e remova as autorizações dadas à farsa em seu Facebook. Também apague cookies, cache e licenças de conteúdo de seu navegador para garantir que nada ficou para trás.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.