Novos anúncios do Twitter trocam postagens por informações

Por Redação | 04.08.2016 às 17:50

A ideia original vem para garantir propagandas mais interativas e interessantes para os usuários, mas se mal-usada, pode acabar tornando legítima a criação de “clickbaits” no Twitter. É a análise preliminar que está sendo feita de uma nova ferramenta de publicidade lançada nesta semana pela rede social, por meio da qual empresas e marcas podem esconder informações, vídeos, imagens e outros atributos por trás da exigência de publicação de uma hashtag na conta dos usuários.

Chamada de Instant Unlock Cards, a modalidade de propaganda é fruto de experimentos e está sendo liberada aos poucos para os clientes. No exemplo usado pelo Twitter, uma rede de cafeterias promete revelar os segredos de torra de seus grãos de café, mas para isso, é preciso que os usuários tuitem a hashtag #receitasecreta a partir de um botão dedicado a isso. Isso abre um vídeo que mostra detalhes do processo, que teria mais de um século de idade.

O sistema é semelhante ao que é usado por muitas companhias em promoções, por exemplo. Recentemente, no Brasil, o Netflix fez uma oferta bastante parecida, pedindo que os usuários tuitassem uma hashtag para promover o lançamento da nova temporada do reality show culinário “Chef’s Table”, que neste ano contou com a participação do chef Alex Atala. Entretanto, em troca, eles poderiam receber ingredientes utilizados por ele em suas receitas.

Para a empresa, nos testes internos, companhias que utilizaram essa forma de fazer propaganda obtiveram maior taxa de engajamento e sucesso, pois ela é capaz de definir exatamente quem está interessado na marca. Além disso, trata-se de uma maneira de tornar a publicidade mais interessante, uma vez que conteúdos adicionais podem ser disponibilizados por meio dela, em vez de simples imagens ou vídeos promocionais.

Por outro lado, para analistas, não existe nenhuma garantia de que o usuário realmente vai receber aquilo que espera ao tuitar uma mensagem patrocinada. O Twitter não estaria verificando junto a seus clientes se os comerciais são legítimos ou apenas “clickbaits”, como são chamadas as postagens voltadas apenas para gerar visualizações por meio de chamadas instigantes, mas que não entregam o que prometem.

E, neste caso, o feitiço pode se voltar contra o feiticeiro. É claro, o sistema sempre permite que o usuário volte atrás e, caso se arrependa da promoção de fez, delete a postagem. Por outro lado, a poluição na linha do tempo já estaria feita e, mesmo que por um curto período de tempo, outros usuários poderiam acabar atraídos para a oferta. Com isso tudo, em vez de crescimento no engajamento, a rede social pode acabar vendo uma queda na participação e também na satisfação dos utilizadores.

Fonte: Twitter