Mark Zuckerberg: "Realidade virtual é o próximo grande passo do Facebook"

Por Redação | 31.07.2015 às 08:27
photo_camera Divulgação

O Facebook já mostrou que quer ser um concorrente de peso do YouTube quando o assunto são vídeos na internet. E não é para menos: além da audiência desse tipo de conteúdo ter aumentado na rede social, a companhia anunciou recentemente ferramentas de edição para potencializar a divulgação de clipes dentro da plataforma. Mas agora que os vídeos começam a conquistar mais espaço, qual será a próxima grande investida da empresa de Mark Zuckerberg?

Levando em conta uma das maiores aquisições do Facebook e declarações de seu CEO, não é difícil concluir que estamos falando do mercado de realidade virtual. A tecnologia ganhou destaque nesta quarta-feira (29), durante a divulgação dos resultados financeiros da rede social referentes ao último trimestre. Em conversa com investidores, Zuckerberg declarou que "conteúdo imersivo em 3D é obviamente o próximo negócio [do Facebook] após o vídeo".

"A razão para estarmos animados com essa indústria é a progressão contínua das pessoas em encontrar formas ainda maiores de compartilhar o que está em suas mentes", disse o executivo quando perguntado sobre quais aplicações poderão ser desenvolvidas pela Oculus VR. "Há dez anos foi o texto. Depois foram as fotos. E agora vemos um crescimento principalmente nos vídeos, mas este não é o fim da linha", complementou.

Para Zuckerberg, a realidade virtual vai representar um grande salto no campo dos jogos eletrônicos e dos vídeos, duas áreas das quais o Facebook é bastante ativo. Contudo, desde que adquiriu a Oculus por US$ 2 bilhões, em março de 2014, ainda é incerto prever o que a rede social está preparando para ambos os setores.

Na época em que adquiriu a Oculus VR, Zuckerberg já havia dito que a tecnologia desenvolvida pela empresa "abre possibilidades totalmente novas", e que o Facebook possui projetos com duração entre cinco e dez anos. "Nossos investimentos vão aumentar. Existem grandes oportunidades de construir a nova geração de plataformas de computação. Nós podemos ajudar a definir o que a próxima geração de computação será", disse em uma entrevista no ano passado.

Outra característica desse investimento é a criação de um estúdio interno de cinema na Oculus VR para desenvolver longas e curtas-metragens para serem assistidos usando o headset Oculus Rift. Batizada de Story Studio, a divisão é comandada por Saschka Unseld, ex-animador da Pixar que já havia trabalhado em Toy Story 3 e Valente. Já foi lançado para o headset o filme interativo Lost e outras produções exclusivas estão a caminho, como Dear Angelica, Bullfighter e Henry.

O primeiro modelo comercial do Oculus Rift chega às lojas no primeiro semestre de 2016. O modelo comercial virá em um pacote que inclui o acessório mais um controle (o mesmo do Xbox One). Mesmo assim, Brendan Iribe, diretor executivo da Oculus, afirmou que será preciso desembolsar cerca de US$ 1.500 para adquirir os óculos em conjunto com um computador compatível com a tecnologia, uma vez que nem todos os dispositivos terão a configuração mínima necessária.

Fontes: Variety, The Verge