Mark Zuckerberg quer botão para demonstrar empatia e não um simples "Não Curti"

Por Redação | 16 de Setembro de 2015 às 13h45

A notícia de que o Facebook vai adicionar um botão "Não curtir" deixou muita gente curiosa com os rumos da rede social. Embora o recurso fosse algo pedido há tempos, a verdade é que sempre houve muito receio com a adição de algo tão negativo assim. Afinal, a internet já é tóxica sozinha, imagina com a ajuda de uma ferramenta que pode destruir a autoestima de alguém. Contudo, parece que as ideia original de Mark Zuckerberg não é tão catastrófica assim.

Segundo o próprio CEO, a ideia não é fazer algo semelhante ao Reddit ou YouTube para que as pessoas digam do que gostaram e do que não gostaram. Na verdade, a novidade tem uma conotação totalmente diferente. De acordo com Zuckerberg, o que o Facebook quer fazer é trazer uma forma de demonstrar empatia a vítimas de tragédias ou de qualquer outro acontecimento não tão legal assim.

Isso significa que o tal botão não será o tal do Dislike, como muitos imaginaram inicialmente. Se fosse para tentar achar um sentimento ou expressão em nosso idioma seria um "Putz" ou mesmo um simples "Sinto Muito", pois é esse o contexto que o executivo quer abordar nas interações futuras em sua rede.

Dislike

E isso é totalmente válido. A expressão e o símbolo do Curtir ganharam uma conotação completamente diferente daquela que foi imaginada inicialmente. Ele deixou de ser aquele joinha que representa que você gostou do que a outra pessoa postou e passou a comunicar muito mais. Agora, o Like significa que você viu aquele post ou mesmo que você compartilha daquilo que é dito ou mostrado, mesmo que não seja algo positivo.

Em termos práticos, quem nunca se sentiu mal ao ver um amigo comentar que perdeu o emprego ou noticiando o falecimento de um familiar? As pessoas curtem isso como forma de apoio, por mais contraditório que isso seja. E exatamente para acabar com essa confusão é que Mark Zuckerberg quer adicionar essa ferramenta de empatia.

Tanto que ele citou exatamente a crise dos refugiados na Europa como um exemplo no qual o recurso vai ser útil para expressar um sentimento de maneira mais clara. Afinal, você não está curtindo o fato de pessoas morrerem enquanto tentam fugir de uma guerra, mas expondo sua solidariedade com a questão.

Mark Zuckerberg

Assim, o tal do Dislike não só iria contra tudo isso como ainda poderia tornar esses pontos ainda mais delicados. A ideia de não gostar de algo é muito mais negativa e, de certo modo, agressiva. Ainda no caso dos refugiados, mandar um Dislike pode significar muitas coisas, desde que você não curtiu o post até significar que você não gosta daquelas pessoas.

Para Zuckerberg, é bastante complicado sintetizar tantas coisas em um só botão para fazer com que as pessoas possam se expressar da melhor maneira possível, mas ele diz que o Facebook tem uma boa ideia nesse sentido e que deve ser testada em breve e que, dependendo dos resultados e da própria aceitação do público, isso vai ser liberado para os demais usuários.

Via: TechCrunch

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.