Mark Zuckerberg confirma que Facebook está trabalhando com realidade aumentada

Por Redação | 08 de Outubro de 2015 às 13h58
photo_camera Divulgação

Em uma palestra sobre realidade virtual no evento Vanity Fair New Establishment Summit, em San Francisco, nos Estados Unidos, o CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, confirmou que sua empresa está trabalhando com tecnologia de realidade aumentada.

O anúncio não era esperado, mas também não é uma grande surpresa pelo fato da companhia ter adquirido a Oculus VR, fabricante do headset de realidade virtual Rift. Logo, embora sejam áreas diferentes, faz todo o sentido a rede social desenvolver aplicações para ambas as plataformas.

De acordo com Michael Abrash, do Facebook, a realidade virtual já chegou e está prestes a chegar ao consumidor final — um indicativo de que a tecnologia, mesmo recente, começa agora a tomar forma. Por outro lado, a realidade aumentada ainda necessita de muita pesquisa e desenvolvimento, e que, portanto, levará algum tempo até ser aprimorada.

"É muito interessante; é algo que nós todos usaríamos se funcionasse bem. Há toda uma série de desafios: como você faz a óptica, as telas, como leva as fotos para os olhos, e, sobretudo, como ter algo socialmente aceitável e confortável durante todo o dia?", questiona o executivo. "Talvez no futuro essa tecnologia se materialize em lentes de contato em ou óculos".

É importante destacar que, embora a realidade aumentada e virtual envolvam o digital, são dois campos distintos: a realidade aumentada trabalha diretamente com o real, utilizando algum dispositivo de visualização ou de som para inserir gráficos, sons, cheiros e elementos 3D no nosso mundo — e interagir com eles. Enquanto isso, a realidade virtual usa técnicas de visualização e manipulação para criar um ambiente tridimensional, mas que não é real. Neste caso, o usuário é colocado dentro de um local criado virtualmente, utilizando luvas, óculos e outros acessórios para tornar a experiência mais imersiva.

Diferente da proposta do Oculus Rift, que coloca as pessoas dentro de uma única experiência, o Facebook quer que a realidade aumentada amplie as possibildades da rede social no mundo real. "O Facebook é uma maneira de dar às pessoas uma voz para compartilhar qualquer coisa que elas queiram, em qualquer tipo de mídia e com qualquer público que elas queiram", destacou Zuckerberg.

Como a empresa declarou que ainda está nos primeiros passos quanto à realidade aumentada, não se sabe se a tecnologia será baseada no Rift ou em outro dispositivo. Por enquanto, o foco da companhia é o lançamento do headset, que chega ao mercado no primeiro semestre de 2016.

O modelo comercial virá em um pacote que inclui o acessório mais um controle (o mesmo do Xbox One). Mesmo assim, Brendan Iribe, diretor executivo da Oculus, afirmou que será preciso desembolsar cerca de US$ 1.500 para adquirir os óculos em conjunto com um computador compatível com a tecnologia, uma vez que nem todos os dispositivos terão a configuração mínima necessária.

Fonte: TechCrunch

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.