Mark Zuckerberg anuncia que não vai concorrer à presidência dos Estados Unidos

Por Redação | 22 de Maio de 2017 às 19h28

Depois de anunciar que um de seus objetivos para 2017 era visitar o maior número de locais dos Estados Unidos possível, muitas pessoas começaram a especular se Mark Zuckerberg estava planejando se candidatar à presidência do país. Colocando um ponto final nos boatos, finalmente o CEO do Facebook explicou qual é o seu real objetivo, que, definitivamente, nada tem a ver com a Casa Branca.

De acordo com informações divulgadas pelo próprio executivo, sua intenção é encontrar maneiras de fortalecer a "comunidade" do Facebook. "Eu acho que esta é uma área onde o Facebook pode fazer a diferença. Alguns de vocês perguntaram se esse desafio significava que estou concorrendo a cargos públicos. Eu não estou. Estou fazendo isso para ter uma perspectiva mais ampla para garantir que estamos melhor servindo nossa comunidade de quase 2 bilhões de pessoas no Facebook e fazendo o melhor trabalho para promover a igualdade de oportunidades na Iniciativa Chan Zuckerberg", explicou.

Ao que tudo indica, Mark Zuckerberg está planejando criar novas formas de relacionamento. Em sua publicação, o CEO do Facebook deixou claro que, além de amigos, a rede social pode ajudar as pessoas a encontrarem mentores. "Há uma série de modelos para saber como isso pode funcionar. O Peace Corps cria oportunidades de serviço onde as pessoas trocam cultura e criam novos relacionamentos. Talvez possamos construir uma nova associação de paz digital. Outro modelo é o dos Alcoólicos Anônimos e Narcóticos Anônimos, em que as pessoas que têm lutado contra esses desafios passam a se tornar mentores para os outros, com a esperança de treiná-los para que um dia eles se tornem seus próprios mentores."

Zuckerberg ainda afirma que até o momento aprendeu a importância das relações, seja para aspectos negativos ou positivos. "Nossos relacionamentos nos moldam mais do que pensamos — como consideramos oportunidades, como processamos informações e como formamos hábitos", escreveu

Para ilustrar seu aprendizado, o executivo explicou que em Ohio, em contato com dependentes de heroína, o fortalecimento de novas relações é fundamental. "Eles me disseram que o primeiro passo no combate ao vício é a desintoxicação, mas o segundo é conseguir novos amigos", explicou. "Se você mantiver amizade com as pessoas que usavam drogas com você — ou mesmo com pessoas que estão usando por conta própria — a recaída está praticamente garantida."

Apesar de ter dado destaque para o impacto negativo que as relações podem ter, Zuckerberg também mostrou como as relações podem ser enriquecedoras. "Em Detroit, conheci líderes comunitários que transformaram um prédio abandonado em um lugar seguro onde as crianças podem ficar depois da escola. O fundador me disse: 'Queremos que as crianças sejam capazes de pensar de novo, e isso vem do exemplo de ver homens e mulheres que se preocupam com o que fazem. Temos vizinhanças inteiras de crianças esperando que alguém lhes dê um senso de propósito'", relatou.

E então, o que será que o CEO está preparando? Deixe sua opinião nos comentários!

Fonte: Recode

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.