Maioria dos vídeos sobre aquecimento global no Youtube é fake news

Por Rafael Rodrigues da Silva | 12 de Agosto de 2019 às 15h00
Tudo sobre

YouTube

Saiba tudo sobre YouTube

Ver mais

Um estudo conduzido por Joachim Allgaier, da Universidade Técnica de Aachen (Alemanha), mostra como o YouTube tem sido uma ferramenta muito importante para a disseminação de ideias que negam a ciência e que tem contribuído para nos colocar em um mundo da “pós verdade”, onde a crença e a observação subjetiva possuem mais valor do que os estudos científicos.

Isso porque o estudo de Allgaier descobriu que, ao se procurar no YouTube pelo tema de aquecimento global, a maior parte dos conteúdos não explica o que é esse fenômeno, mas nega a existência dele.

Para isso, o pesquisador utilizou o navegador TOR para acessar o YouTube (garantindo assim que os seus cookies e histórico de navegação não influenciassem nos resultados buscados ao se pesquisar por um assunto no YouTube) e fez uma pesquisa pelo tema “aquecimento global”, analisando o conteúdo de 200 vídeos escolhidos de maneira aleatória, que foram sugeridos a ele pela ferramenta de busca do site.

Após a análise, o pesquisador chegou à conclusão de que 107 desses vídeos (53,5% do total) eram conteúdos que negavam a existência do aquecimento global, opondo-se ao consenso científico que existe sobre o assunto, muitos deles afirmando que tudo não passa de uma “conspiração esquerdista” para o domínio do mundo.

Um ponto interessante encontrado pelo pesquisador é que muitos desses vídeos utilizam palavras como “geoengenharia” para explicar seus pontos - termo cunhado para explicar os esforços conjuntos para o combate ao aquecimento global, mas que é difundido por essas pessoas como se fosse uma grande teoria da conspiração liderada por entidades obscuras para o domínio populacional.

Mas o ponto mais preocupante para Allgaier é que esses vídeos conspiracionistas não apenas negam o consenso científico, mas também são os conteúdos sobre aquecimento global com maior quantidade de visualizações - o que faz com que eles sejam os primeiros a serem sugeridos para as pessoas que entram no YouTube para procurar sobre o tema.

Todos sabemos que o mundo que está cada vez mais dominado pelas Fake News, e por isso é preciso tomar cuidado com tudo o que se pesquisa ou compartilha na internet. Mas, ao mesmo tempo que empresas como a Google (responsável pelo YouTube) afirmam estar se esforçando para combater esses conteúdos, o fato de que a maioria dos vídeos mais vistos da plataforma de vídeo é formada por conspirações baseadas em mentiras não ajuda a dar credibilidade a essas empresas.E, claro, elas atrapalham uma comunidade científica que, 50 anos depois de mandar o homem para a Lua, precisa ficar vindo a público para afirmar que a Terra é redonda.

Fonte: Genbeta

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.