Mãe se recusa a remover fotos de criança natimorta do Facebook após denúncias

Por Redação | 07.10.2015 às 08:26

É comum nos depararmos com fotos tiradas em salas de parto, onde os pais querem registrar a chegada do bebê ao mundo e compartilhar o momento com amigos e familiares que não estão presentes. Porém, quando uma mãe recebeu a devastadora notícia de que seu filho iria nascer morto, ela decidiu que também gostaria de registrar o momento do nascimento.

Rosalyn e Paul Racca já haviam escolhido o nome da criança, Samuel Tate, quando durante a 21ª semana de gravidez o médico descobriu durante um checkup que o coração do feto não estava mais batendo. Depois de vários testes e medições, o médico constatou que Tate havia morrido há cerca de duas semanas.

Rosalyn deu à luz a Tate na manhã seguinte à descoberta. Conforme o desejo dos pais, o momento foi registrado e, após o funeral, Rosalyn decidiu publicar algumas fotografias de seu filho no Facebook. "Nós publicamos fotos dos seus pezinhos, tenho uma ao lado do crucifixo do terço do meu marido. Eu não queria ofender ninguém", disse Rosalyn a respeito das imagens que estavam em preto e branco.

No aniversário de nascimento de Tate, a mãe decidiu publicar mais fotos do seu filho em sua página da rede social. Porém, essas fotos eram mais íntimas, coloridas e mostravam o rosto da criança. "Um dia antes, coloquei um aviso no meu status do Facebook dizendo que iria colocar fotos do Tate, porque eu sabia que alguns membros da família não iriam querer vê-lo assim".

Após a publicação das fotos, Rosalyn foi notificada por postar "conteúdo impróprio" e "graficamente violento". De acordo com os Padrões da Comunidade do Facebook, ela precisa remover as imagens ou torná-las privadas. Rosalyn disse que não vai remover as fotos do seu filho da rede social, embora o Facebook tenha alertado que sua conta poderá ser desativada.

Alerta Facebook

Mensagem do Facebook recebida por Rosalyn

"O motivo pelo qual estou compartilhando isto é para celebrar sua vida e ele era meu filho. Isso é tudo que eu vejo quando olho para as fotos, não vejo nada de graficamente violento", disse. Para tentar levantar ainda mais o debate sobre o assunto, a mãe pediu apoio aos familiares e amigos, que também estão compartilhando as imagens em seus perfis.

Via CNN