LinkedIn tranquiliza usuários e garante que não houve novo vazamento de senhas

Por Redação | 26 de Maio de 2016 às 18h27

Na semana passada, a notícia de que um hacker conhecido como "Peace" estava vendendo cerca de 117 milhões de credenciais do LinkedIn ganhou notoriedade na internet, deixando muitos dos usuários da rede social preocupados com a segurança de suas contas. De acordo com as informações, o hacker estava vendendo na Deep Web milhões de dados dos usuários do LinkedIn por 5 bitcoins, o equivalente a aproximadamente US$ 2.200.

Em resposta ao acontecido, o LinkedIn afirmou em comunicado que esta não se trata de uma nova falha de segurança, mas sim da comercialização de dados vazados em 2012 e que a equipe de segurança da empresa já tomou medidas imediatas na época para invalidar as senhas de todas as contas que acreditavam estar sob risco de fraude. Foram utilizadas ferramentas automatizadas para tentar identificar e bloquear qualquer atividade suspeita, além da adesão à verificação em duas etapas para os usuários que desejarem proteger com maior eficiência suas contas.

"Temos várias equipes dedicadas trabalhando para assegurar que as informações dos membros do LinkedIn continuem seguras", declarou a empresa em comunicado. "Sugerimos que os nossos membros visitem nosso Safety Center para aprender sobre como ativar a verificação em duas etapas e implementar senhas fortes a fim de manter suas contas o mais seguro possível".

Ainda de acordo com o comunicado, a rede social assegura que os dados comercializados incluem o endereço de e-mail, senhas e IDs de usuários do LinkedIn, que são um identificador interno concedido a cada perfil da rede social. O LinkedIn recomenda ainda que os usuários que possuem senhas similares às vazadas em 2012 em outros serviços online possam redefini-las para também garantir a integridade dessas contas.

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.