LinkedIn registra prejuízo de US$ 166 milhões em 2015

Por Redação | 08 de Fevereiro de 2016 às 11h25

Principal rede social voltada a profissionais, o LinkedIn registrou grande prejuízo no ano de 2015. Segundo números divulgados pela empresa durante teleconferência com analistas, o prejuízo do último trimestre chegou a US$ 8 milhões e US$ 166 milhões no ano de 2015. O que deixa a situação mais grave é o fato dos prejuízos terem mais que dobrado de ano para ano. O prejuízo do quarto trimestre cresceu quase 170%, enquanto o prejuízo anual subiu quase 1.000%. Apesar dos números negativos, a receita do LinkedIn registrou crescimento de 34% no último trimestre, para US$ 862 milhões, e de 35% no ano, totalizando cerca de US$ 3 bilhões.

A expectativa para 2016 revela um elevado grau de ansiedade do conselho da empresa em decorrência dos resultados financeiros nada animadores do quarto trimestre e de todo ano de 2015. Ao discutir sua estratégia para este ano, o LinkedIn afirmou que espera um aumento de pelo menos 20% na receita no negócio de serviços de recrutamento a partir do segundo semestre, depois de encerrar 2015 com crescimento de 30%. As despesas aumentaram 39% ano sobre ano, para US$ 877,9 milhões, o que fez com que a rede social encerrasse o ano de 2015 com US$ 3,1 bilhões em caixa e US$ 1,1 bilhão em dívida.

A receita da unidade Solutions Talent, que inclui áreas de aprendizagem e desenvolvimento e é responsável por 62% da receita total, obteve um crescimento de 45% no quarto trimestre, para US$ 535 milhões, e de 41% no ano, para US$ 1,8 bilhão. Ao todo, a divisão registrou 3 mil novas contas corporativas no ano, elevando o total para mais de 42 mil contas (aumento de 29% em relação a 2014).

Na área de Market Solutions (Soluções de Marketing), foi registrado um aumento de 20% no último trimestre, para US$ 183 milhões, e de 28% no ano, para US$ 581 milhões. Já no segmento de assinaturas (Premium Subscriptions), houve um crescimento de 19% no quarto trimestre, totalizando US$ 144 milhões, e 22% em todo o ano, para US$ 532 milhões. Vale ressaltar que o mercado norte-americano corresponde a 61% da receita.

Outro bom dado divulgado foi o número de usuários registrados, que aumentou de 18 milhões para 414 milhões. Já o número de visitantes cresceu apenas 7%, para 100 milhões, dos quais 57 milhões de usuários são de dispositivos móveis. O número de page views chegou a 37 bilhões, um aumento de 26%.

Com todos os resultados apresentados, o mercado de ações ficou preocupado com o grande prejuízo divulgado. Por isso, as ações do LinkedIn caíram 43% na última sexta-feira (05) na Bolsa de Nova Iorque.

Via TI Inside

Fonte: http://convergecom.com.br/tiinside/05/02/2016/prejuizo-do-linkedin-cresce-mais-de-dez-vezes-e-acoes-caem-mais-de-43-nesta-sexta-feira/

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.