LinkedIn lança ferramenta para contratação de freelancers

Por Redação | 24 de Agosto de 2016 às 15h51

O LinkedIn está lançando nesta quarta-feira (24) sua primeira ferramenta desde que foi adquirido pela Microsoft em um negócio de US$ 26 bilhões anunciado em junho. Trata-se do ProFinder, um mecanismo de busca voltado exclusivamente para a contratação de freelancers, permitindo que empresas e responsáveis por projetos busquem rapidamente profissionais para a realização de trabalhos pontuais.

A ideia parece ser uma extensão da mesma funcionalidade que já estava disponível para colaboradores tradicionais, e agora avança para o mercado de freelas, que vem ganhando cada vez mais corpo. Por enquanto disponível apenas nos Estados Unidos, a ferramenta permite que o empregador insira, por exemplo, o orçamento disponível e encontre uma lista de profissionais dentro daquela faixa de preço. As pesquisas também podem levar em conta outras características como a experiência de quem está à disposição para trabalhar e sua localização geográfica.

Apesar de não se restringir a determinadas áreas de atuação, o LinkedIn afirma que seu mecanismo de pesquisa funciona melhor para trabalhos das áreas de design, tecnologia da informação, consultoria de negócios, fotografia e desenvolvimento de software. Não por acaso, estão também nesses nichos a maioria dos profissionais que utilizam a plataforma como uma parte ativa do mercado de trabalho. Ou seja, esse desempenho melhor tem a ver com o fato de que os currículos de tais profissionais são mais atualizados e disponíveis em maior quantidade.

A recíproca também é verdadeira, e freelancers também podem buscar na rede por vagas que atendam às suas capacidades profissionais e expectativas. Em ambos os casos, o contato pode ser feito diretamente pela rede social para discussão de preços e condições, antes que a comunicação seja levada para outras redes e o trabalho, efetivamente, comece a acontecer entre os interessados.

Além disso, o ProFinder conta com um sistema de prioridade nas buscas que privilegia freelancers ou empresas que estejam dentro do rol de conexões de um usuário, uma vez que ele coloca uma vaga ou a si mesmo à disposição. A ideia do LinkedIn, com isso, é trabalhar com uma versão virtual de um sistema de indicações, no qual proximidade e conexões em comum podem não apenas identificar uma afinidade com determinados projetos, mas também a possibilidade de conhecer melhor o perfil dos envolvidos.

O projeto estava em testes desde 2015 e, somente agora, ficou disponível para todos os usuários nos Estados Unidos. Ainda não há previsão de liberação para outras regiões, mas como a ideia do LinkedIn é incentivar o mercado de freelancers – que a empresa cita como uma parcela considerável de seus usuários –, é de se imaginar que a plataforma não deve demorar a chegar a mais locais.

Fonte: LinkedIn

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.