Itens absurdos são ofertados no app Facebook Marketplace em sua estreia

Por Redação | 05.10.2016 às 13:42
photo_camera Divulgação

O Facebook Marketplace, novo serviço de vendas da rede social baseado no modelo usuário para usuário (P2P) parece que não estreou com o pé direito. Na noite da última segunda-feira, 3, data em que o aplicativo foi lançado, o Facebook já estava se desculpando por problemas com o serviço, que registrou alguns posts bizarros que não pareceriam estranhos no mercado online clandestino Silk Road, fechado em 2013 por ação do FBI.

Itens como drogas ilegais, cachorros, armas, serviços sexuais e filhotes de porco-espinho estavam disponíveis no Facebook Marketplace e, é claro, que vender tudo isso contraria as normas de comércio do site.

A explicação para o incidente foi dada por Mary Ku, diretora de gestão de produtos do Facebook, que havia anunciado o novo app com entusiasmo em um post no blog da empresa no começo do dia. Em um comunicado, a executiva afirma que uma questão técnica havia impedido que o sistema de revisão do Facebook identificasse posts que violavam as normas comerciais da empresa e os padrões de sua comunidade.

"Estamos trabalhando para resolver os problemas e monitoraremos de perto nossos sistemas para garantir que estejamos identificando devidamente e removendo violações antes de permitir que as pessoas retomem o acesso ao Marketplace", ela afirmou. "Pedimos desculpas pelo problema".

Ainda segundo ela, o Facebook Marketplace foi lançado porque a empresa reconhece que seus usuários vêm comprando e vendendo produtos e serviços por meio de grupos do Facebook. Ela escreveu que "mais de 450 milhões de pessoas visitam grupos de compra e venda a cada mês". No entanto, tais usuários também estavam violando as normas de comércio da empresa.

Em julho, Mike Monteiro, um web designer que iniciou uma campanha para ajudar a fiscalizar a rede social em busca de vendas de armas, disse ter denunciado cerca de 500 posts ou grupos que violavam as normas do Facebook quanto à venda de armas, no mês passado, e que a companhia havia removido cerca de dois terços deles.

O Marketplace está sendo introduzido gradualmente e não estava disponível para todos os usuários do app na segunda-feira. O Facebook planeja oferecê-lo para usuários dos Estados Unidos, Reino Unido, Austrália e Nova Zelândia em alguns dias, e ele estará disponível para os usuários que acessam via computador "nos próximos meses", afirmou a companhia.

Fonte: Folha de S.Paulo