Instagram não vai retirar do ar vídeo falso de Mark Zuckerberg

Por Felipe Demartini | 12 de Junho de 2019 às 10h58
Tudo sobre

Mark Zuckerberg

Saiba tudo sobre Mark Zuckerberg

O Instagram informou que não vai retirar do ar um vídeo falso que tenta atribuir declarações falsas ao CEO do Facebook, Mark Zuckerberg. Questionada sobre as atitudes em relação ao clipe que usa inteligência artificial para forjar a fala, a empresa afirmou que as mesmas punições aplicadas a qualquer esforço de desinformação na rede social serão aplicadas também a este caso.

Tais aspectos estão relacionados, por exemplo, a uma diminuição na relevância da postagem e seu desaparecimento de sugestões aos usuários, aparições na busca por hashtags ou na seção Explorar do Instagram. Além disso, o conteúdo deve passar por um processo de verificação por agências independentes, mas certificadas pela empresa, como acontece com outras publicações falsas e voltadas para manipulação.

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

A publicação original, feita pelo artista Bill Posters, faz parte de um projeto chamado Spectre, que visa criticar a indústria da informação, vigilância e redes sociais, além da maneira com a qual ela manipula a opinião pública. No vídeo, Zuckerberg aparece afirmando que deve sua vida ao sistema, uma vez que “quem controla os dados, controla o futuro”.

Outras celebridades, como Kim Kardashian e o presidente americano Donald Trump, também aparecem em vídeos falsos criados para a instalação, que usa uma técnica chamada Deepfake. Usando inteligência artificial e deep learning, o sistema seria capaz de combinar vídeos reais com declarações falsas, criando movimentos faciais que condizem com a fala. A tecnologia foi usada primeiro na criação de imagens que colocavam celebridades em cenas pornográficas e, depois, na produção de clipes como o de Zuckerberg.

A publicação feita no Instagram, inclusive, serviu como uma provocação tanto do próprio Posters quanto para parte da imprensa internacional, que questionou o Facebook se as mesmas atitudes usuais tomadas em relação às fake news seriam válidas agora que o alvo é o CEO da empresa. A rede social costuma ser contra a retirada de conteúdo falso do ar, preferindo aplicar as sanções citadas, e o conteúdo em questão, segundo ela, será combatido da mesma maneira.

Entretanto, outra questão, que parece ter maior peso no caso, pode levar à retirada do clipe. A rede de televisão americana CBS solicitou que o vídeo fosse removido por violação de direitos autorais, uma vez que o logo da emissora aparece logo abaixo de Zuckerberg, como se a declaração tivesse sido captada em uma transmissão real. Entretanto, até o momento em que esta reportagem é escrita, o conteúdo permanece disponível.

Uma discussão semelhante surgiu recentemente quando um vídeo editado da congressista americana Nancy Pelosi surgiu nas redes sociais e chegou até mesmo a ser compartilhado por Donald Trump. As imagens foram editadas a partir de um discurso real, mas de forma a indicar que ela estaria entorpecida e se enrolando com as palavras. A política fez críticas abertas ao Facebook, inclusive associando a rede social à manipulação nas eleições de 2016 nos EUA, e teria, inclusive, negado ligações do próprio Zuckerberg, em uma tentativa de esclarecer o caso e explicar os mecanismos internos para lidar com casos desse tipo.

Fonte: The Verge

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.