Instagram libera filtros contra comentários ofensivos

Por Redação | 03.08.2016 às 12:41

Cumprindo o prometido, o Instagram começou a liberar nesta quarta-feira (03) seu filtro de palavras, uma nova ferramenta para quem deseja melhorar a moderação de suas contas na rede social. Segundo a empresa, a ideia é manter o caráter “divertido, amigável e, principalmente, seguro” da plataforma, evitando que usuários tóxicos entrem no caminho da experiência.

A nova ferramenta está sendo liberada aos poucos e aparece primeiro para celebridades e contas com alguns milhares de usuários. O Instagram, entretanto, já disse que, com o tempo, ela estará disponível para todo mundo, permitindo não apenas o bloqueio de spammers e outras contas falsas ou verdadeiras para divulgação de conteúdo, mas também usuários tóxicos.

Isso tudo vai acontecer por meio de um filtro de palavras, a alternativa clássica para sistemas de moderação automática desse tipo. A diferença é que, no Instagram, os próprios usuários poderão definir os termos que gerarão a proibição de postagem de comentários, dando a cada pessoa o poder de trabalhar de acordo com a própria comunidade. Além disso, a possibilidade de customização evita subterfúgios clássicos, como a digitação de palavrões com pontos entre as letras para burlar os filtros, “a.s.s.i.m.”, por exemplo.

Além dos termos customizados, o Instagram também conta com um sistema automático capaz de reconhecer diretamente os principais tipos de abuso. Aqui, o grande alvo deve ser as contas postadoras de spams, uma vez que, por mais que elas tentem, as mensagens sempre possuem um estilo bem característico, com algum tipo de mensagem seguida de link. Ao notarem uma aparição maior desse tipo de coisa em seus perfis, os usuários também podem adicionar palavras à lista, aumentando por si mesmos a eficácia dos filtros.

A promessa de adição de um sistema desse tipo veio após meses de críticas e alegações de que o Instagram, apesar de suas políticas sérias contra nudez e conteúdo violento nas postagens, por exemplo, não estendia o mesmo tipo de tratamento aos comentários. Críticas mais duras, entretanto, vieram depois que a rede social passou a privilegiar a conta da cantora Taylor Swift, monitorando as postagens dos seguidores e apagando conteúdo negativo.

O problema maior foi que isso aconteceu na mesma semana em que a atriz Leslie Jones, de As Caça-Fantasmas, sofreu uma campanha de ódio no Twitter, que levou à sua saída da rede social. Claro, as plataformas são distintas, mas há de se levar em conta uma situação em que, de um lado, até mesmo emojis com imagens de ratos e cobras eram deletados dos comentários, enquanto em outro, uma celebridade em evidência, com filme em cartaz, teve que deixar uma plataforma devido ao conteúdo racista.

O Instagram não comenta se a adição do filtro é uma resposta à polêmica relacionada à conta de Swift, nem se o bloqueio encontrado pelos usuários em seu perfil era, na verdade, o sistema já em funcionamento. A empresa mantém apenas sua visão de que a rede social precisa ser um lugar seguro, e agora, pede a ajuda dos usuários para fazer exatamente isso.

Fontes: The Washington Post, Chrissy Teigen (Twitter)