Hacker está vendendo 117 milhões de senhas do LinkedIn na Deep Web

Por Redação | 18.05.2016 às 09:28

Todos os dias contas de redes sociais são interceptadas por criminosos no mundo todo. Na maioria dos casos, muitos roubos de credenciais não são divulgados, tendo em vista a discrição do ataque realizado. Por outro lado, há criminosos que conseguem uma grande quantidade de senhas e se aproveitam disso para ganhar dinheiro no mercado negro.

Na Deep Web, é fácil encontrar senhas de serviços como Spotify, Facebook e Dropbox. Agora, um hacker, conhecido como "Peace", está vendendo cerca de 117 milhões de credenciais do LinkedIn. Tendo em vista que a rede social corporativa conta com 400 milhões de usuários no mundo todo, o hacker teria quase 30% do total de contas em suas mãos.

Em 2012, o hacker já havia deixado milhões de usuários do LinkedIn vulneráveis, interceptando e divulgando detalhes de mais de 6,5 milhões de contas online. Agora, "Peace" parece estar disposto a ganhar dinheiro em troca dos milhões de credenciais obtidas, que estão sendo vendidas por 5 bitcoins, o equivalente a aproximadamente US$ 2.200.

O hacker confirmou que as chaves de acesso obtidas são fruto de seu ataque de 2012, provando que o LinkedIn não tomou as devidas precauções para que o fato não ocorresse novamente. O hacker acrescentou que, embora a maioria das senhas estejam criptografadas, ou com algoritmo SHA1, mais de 90% delas já foram quebradas.

Muitos usuários da rede profissional armazenam dados bastante sensíveis, como número de contas bancárias, documentos e outras informações pessoais em suas contas. Para manter-se seguro, o conselho é alterar a senha de sua conta no LinkedIn o mais rápido possível, a fim de evitar que ela seja invadida. É recomendado que você utilize uma senha complexa, contendo letras, números e caracteres especiais.

Via TNW