Fundadores do Snapchat falam sobre crescimento da rede social

Por Redação | 26.05.2015 às 16:22
photo_camera Foto: Reprodução/J. Emilio Flores/The New York Times/Redux

O co-fundador do Snapchat, Evan Spiegel, tem apenas 24 anos e é o responsável por comandar uma equipe de 330 funcionários, que trabalham para sustentar a rede social que, atualmente, conta com mais de 100 milhões de usuários, em sua maioria jovens. Em entrevista à Bloomberg, o empresário conta sobre o seu trabalho para a plataforma e revela planos para o futuro da companhia.

O Snapchat foi criado há mais de três anos por Spiegel e Bobby Murphy, de 26 anos. Agora, com as constantes atualizações e melhorias do aplicativo, a dupla se prepara para começar a negociar com grandes anunciantes, pois os seus novos números mostram que a sua audiência é maior, mais jovem e mais "obsessiva" do que qualquer programa de televisão.

Em um relatório de 23 páginas que está sendo enviado para agências de propaganda neste mês, a companhia diz que mais de 60% dos seus usuários de 13 a 34 anos são ativos no serviço e juntos somam mais de dois bilhões de vídeos por dia. Isso já chega a ser a metade do número de pessoas que assistem a vídeos pelo Facebook, que é sete anos mais velho que o Snapchat e tem 10 vezes mais membros.

Chamath Palihapitiya, ex-executivo do Facebook e investidor de alta tecnologia, diz que quando o Snapchat começou, achava que ele parecia trivial, mas depois descobriu que estava completamente errado. "Eu não acho que ninguém viu sair o que eles estão construindo. Na pior das hipóteses, eles são a próxima geração MTV. Na melhor das hipóteses, eles são a próxima geração Viacom", afirma.

A ascensão do Snapchat passou por alguns momentos complicados, como processos judiciais e vazamentos de emails profissionais e pessoais. Tudo isso deu a Spiegel a fama de "garoto rico e arrogante", além de ser considerado egoísta e tolo por recusar uma oferta de aquisição de mais de US$ 3 bilhões pelo Facebook no final de 2013, quando a receita da rede social era de zero dólares ao ano.

Em um discurso de formatura na University of Southern California no último dia 15 de maio, Spiegel disse aos formandos que alguém sempre terá uma opinião sobre você: "Faça o que fizer, nunca vai ser suficiente. Então, encontre algo importante para você. Encontre algo que você ama", disse.

Spiegel comenta que, no início, o Snapchat era menos sobre selfies e mais sobre o compartilhamento de um momento de maneira livre, sem pensar nas consequências. "Antes disso, na maioria das redes sociais, você tirava uma foto e entregava ela para qualquer um no planeta".

Com o conceito criado, eles ainda tiveram a ideia de deixar os usuários ilustrarem as suas fotos e vídeos com imagens gráficas, além de deixar o conteúdo como uma sequência e com um pouco mais de tempo, com o recurso "História". Também surgiu a ideia de compilar "snaps" feitos em diversas cidades do mundo e em campus universitários. O empresário também tem o objetivo de mostrar que a audiência jovem é significativa e não apenas popular.

Na entrevista, ele ainda cita a criação do recurso "Discover", em que veículos como a CNN, ESPN, entre outros, divulgam os seus conteúdos através da plataforma, diariamente. A dupla de fundadores também fala sobre o sucesso de parcerias com marcas grandes, como a Coca-Cola e o Mc Donalds, para criar anúncios dentro da rede social.

Spiegel finaliza a conversa dizendo que tem orgulho de seu time e do que eles ainda vão fazer.

Via: Bloomberg Business