Facebook vai mostrar como informações pessoais direcionam seus anúncios

Por Felipe Demartini | 07 de Fevereiro de 2019 às 11h25
Depositphotos
Tudo sobre

Facebook

Saiba tudo sobre Facebook

Ver mais

O Facebook vai tornar um pouco mais claro seu processo de direcionamento de publicidade para os usuários. A partir do final deste mês de fevereiro, a opção “Por que estou vendo isso?” ganhará um pouco mais de contexto e passará a exibir um panorama do que levou uma determinada propaganda a ser exibida, bem como quais dados foram acessados para isso.

Hoje, essa informação até existe, mas aparece de forma mais generalizada, com o usuário, por exemplo, sendo informado que uma determinada marca quer atingir pessoas acima dos 18 anos. Com a mudança, será possível ver se o usuário faz parte de uma lista de pessoas preferenciais para um determinado anunciante e a data em que as informações foram acessadas e correspondidas pelo sistema do Facebook, bem como a agência ou empresa responsável pela publicação do anúncio.

O novo recurso, que vale tanto para a versão desktop quanto mobile da plataforma, também traz algumas informações adicionais relacionadas à segurança, como uma indicação maior de quem exatamente teve acesso às informações. Caso uma agência de propaganda seja a responsável por veicular em nome de uma determinada marca, por exemplo, é possível que a empresa em si não tenha como visualizar os dados dos usuários, apenas a companhia original e protagonista do anúncio, cujo direcionamento foi obtido por meio de curtidas a páginas semelhantes, faixas etárias ou gostos pessoais.

Links também fazem parte do pacote, com o usuário podendo ser levado a sites e páginas oficiais das marcas envolvidas na campanha publicitária. As datas também indicarão todo o processo de criação dela, desde o momento em que uma lista de possíveis interessados é criada até o upload da propaganda em si e a data de visualização, deixando mais claro, também, a cronologia dos anúncios e a forma como a rede social trabalha com eles.

É claro, aqui estamos falando de hipóteses, já que a informação nem sempre será clara e, ao mesmo tempo em que deseja adicionar mais transparência ao processo, o Facebook também quer proteger seus próprios sistemas internos. O usuário saberá que faz parte de uma lista de potenciais consumidores criada por uma marca de acordo com a telemetria da rede social, mas não saberá, por exemplo, exatamente quais os dados que constam nela nem como eles foram obtidos, apenas aqueles que foram usados para realizar a correspondência entre pessoa e propaganda.

A novidade faz parte de uma iniciativa do Facebook que luta contra o acesso e utilização não-consensual de dados de seus usuários. A rede social criou um sistema que certifica que seus clientes do mercado publicitário têm autorização para obter dados de usuários e que tais informações foram conseguidas de maneira legítima. É um processo de verificação que acontece desde junho, mas que conta muito com a palavra das empresas e menos com algum tipo de penalização caso o contrário seja percebido.

A ideia do Facebook é liberar as novas informações para todos os usuários a partir do dia 28 de fevereiro. De acordo com a empresa, os termos de responsabilidade e uso que devem ser seguidos pelas empresas e anunciantes não serão alterados com a nova disponibilização dos dados.

Fonte: Facebook

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.