Facebook vai indicar anúncios pagos por políticos e partidos

Por Felipe Demartini | 09 de Agosto de 2018 às 12h52
photo_camera Quartz
TUDO SOBRE

Facebook

O Facebook anunciou nesta quinta-feira (9) mais uma medida voltada para trazer transparência à plataforma na antecipação às eleições presidenciais de outubro. A empresa vai passar a exibir nos conteúdos patrocinados quem foi o responsável por financiar um candidato ou partido nos posts impulsionados.

Existem duas categorias diferentes para classificar o conteúdo considerado político. No caso de anúncios impulsionados por candidatos, a publicação trará uma indicação de “Pago por”, acompanhada do nome do anunciante. Já as outras receberão uma marcação mais generalizada, sendo catalogadas como “propaganda eleitoral”. Em ambos os casos, os usuários terão acesso aos nomes dos responsáveis pelo patrocínio e o CPF ou CNPJ da conta usada para realizar a compra dos anúncios.

Por causa disso, os candidatos e partidos que desejarem impulsionar conteúdos eleitorais em antecipação ao pleito deste ano deverão se cadastrar até o dia 16 de agosto. Para serem aceitos, os administradores de páginas precisarão enviar documentos, confirmar endereços e ativar a autenticação em dois fatores às suas contas, de forma a garantir que elas não sejam roubadas ou invadidas por terceiros, justamente por conta de seu caráter político.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

De acordo com o Facebook, o Brasil será o segundo país no qual os anúncios de política receberão marcações desse tipo. O novo recurso acompanha novos formatos e indicações para compra, bem como os valores aproximados de acordo com os critérios de alcance, número de usuários e regiões atingidas. Ainda, a rede social terá uma biblioteca de propagandas voltada especificamente para esse fim, reunindo os conteúdos identificados desta maneira pelos algoritmos e moderadores da companhia, servindo de base para os que vierem a seguir.

A mudança vale não apenas para o Facebook, mas também para o Instagram. Entretanto, propagandas exibidas em meio a vídeos ou no Messenger ainda não contarão com a indicação – sendo assim, essas plataformas não poderão servir como meio para divulgação de anúncios de cunho político. Da mesma forma, aqueles que não se cadastrarem até a data limite não poderão utilizar as redes sociais para essa finalidade.

Fonte: Facebook

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.