Facebook revela planos para combater disseminação de informações falsas

Por Redação | 27 de Abril de 2017 às 15h35
photo_camera Divulgação

Quem usa qualquer tipo de rede social sabe: é mais fácil clicar em um botão de compartilhar do que verificar se a informação que está sendo passada adiante é verídica. O Facebook também conhece isso muito bem e anunciou algumas medidas para conter a disseminação de notícias falsas, de forma a ampliar o caráter da rede como um local onde as pessoas podem se informar.

Entre os esforços para conter o que chama de “amplificações falsas”, a empresa vai usar inteligência artificial para detectar o comportamento padrão de quem participa desse tipo de ato. Além disso, vai bloquear a criação de perfis e páginas dedicadas a compartilhar informações inverídicas, bem como dar mais atenção à moderação de forma a evitar abusos.

De acordo com o Facebook, a iniciativa surgiu após as eleições de 2016 nos Estados Unidos, quando a rede social detectou uma campanha deliberada de desinformação para alterar a opinião pública. As medidas estão sendo aplicadas em caráter de teste na França, onde um pleito presidencial está em andamento, e estariam tendo sucesso o bastante para ganharem implementação mundial. Por lá, já foram mais de 30 mil contas falsas bloqueadas, enquanto os sistemas de deep learning reduzem o alcance de relatos falsos, mesmo que compartilhados por usuários legítimos.

Em um relatório divulgado nesta quinta-feira (27), a rede social detalha o que acredita serem os três pilares de campanhas desse tipo: coleta deliberada de dados – muitas vezes roubados ou manipulados –, criação de conteúdo e a tal amplificação falsa. É nos dois últimos pontos que a companhia terá uma atuação maior, já que, na primeira fase, muitas vezes, o ato acontece fora de seus domínios.

No caso da eleição que levou Donald Trump à presidência dos EUA, o Facebook foi capaz de identificar práticas dedicadas especificamente a minar a reputação de alvos políticos. Apesar de admitir que, na ocasião, fez pouco para conter essa movimentação, a rede social diz ter atuado a ponto de descobrir até mesmo quem seriam os responsáveis maiores por tudo isso, compartilhando os achados com as autoridades competentes.

Outras medidas já estão sendo implementadas pelo Facebook para conter o problema. Em janeiro, a rede social criou um sistema que permite a usuários denunciarem notícias consideradas falsas. Recentemente, alterou o funcionamento de seu algoritmo de organização de conteúdo para que notícias relacionadas apareçam ao lado de compartilhamentos de páginas ou amigos, facilitando a busca por mais informações e dando mais acesso a visões discordantes.

O objetivo maior, finaliza o Facebook, é a integridade de seus usuários. A empresa afirma que as mudanças foram aplicadas para garantir mais segurança a eles, principalmente em momentos vulneráveis como os de movimentação política ou conflitos. As novidades já estão sendo aplicadas em todo o mundo.

Fonte: Facebook

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.