Facebook rejeita sugestões sobre fake news de partido político australiano

Por Rafael Arbulu | 31 de Julho de 2019 às 19h30
Shutterstock

O Facebook rejeitou sugestão do Partido Trabalhista da Austrália (Labor Party), pedindo que a empresa removesse da rede social certos conteúdos falsos que foram veiculados pela plataforma durante as eleições federais ocorridas no país em maio de 2019. Em carta, o secretário nacional Noah Carroll, pediu que o Facebook removesse postagens que sugeriam que o partido traria de volta a chamada “taxa de morte”, excluída da legislação australiana na década de 1970, alegando que a presença da informação falsa poderia alterar o curso normal do pleito.

Em uma correspondência vista pelo braço australiano do jornal The Guardian, o vice-presidente do Facebook em Cingapura, Simon Milner, respondeu às sugestões do partido, dizendo que “não é nosso papel o de remover um conteúdo que um lado de um debate político considere falso”.

Exemplo de informação falsa, disseminada durante as eleições gerais da Austrália, em maio de 2019: Facebook disse que não é seu papel remover conteúdos que apenas algumas partes considerem falsos. A saber, a informação acima foi desmentida posteriormente (Imagem: Reprodução/The Guardian)

"Eu compreendo que a sua preferência é a de que o Facebook remova todo o conteúdo que você acredite constituir desinformação — o que, nessa instância, significa todo o conteúdo discutido, independente do Partido querer ou não reintroduzir a ‘taxa de morte’ — ao invés de demovê-lo; entretanto, o Facebook somente remove um conteúdo quando ele viola nossos padrões de comportamento de comunidade”, o executivo continuou em sua resposta.

A “taxa da morte” é o nome popular atribuído à tributação exercida pelo governo sobre heranças após a morte de parentes. Ela era válida na nação australiana até meados da década de 1970, quando foi sumariamente removida da constituição e se manteve ausente desde então.

Pelas informações falsas espalhadas pela rede, a acusação era a de que o Partido Trabalhista Australiano ambicionava, se eleito, trazê-la de volta — informação essa que o partido negou veementemente.

As eleições australianas foram realizadas ao final de maio de 2019, elegendo 151 cadeiras da Assembleia Representativa do país. Como líderes, foram eleitos os políticos Scott Morrison (Coalizão Liberal/Nacional), Bill Shorten (Partido Trabalhista) e Richard di Natale (Partido Verde Australiano).

Fonte: The Guardian

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.