Facebook pode permitir que usuários monetizem seus posts

Por Redação | 20 de Abril de 2016 às 11h45

Até agora, todo o dinheiro de publicidade e visualizações das publicações no Facebook vai para um único bolso: o da própria rede social. Mas, pelo menos se algumas das iniciativas presentes em uma nova enquete com usuários se tornarem reais, ela pode começar a dividir isso um pouco, permitindo que usuários e páginas monetizem seus posts e também recebam alguma coisa com suas publicações.

A série de perguntas, claro, não fala de forma específica, mas cita algumas maneiras pelas quais tudo isso pode acontecer. Uma delas seria a abertura de doações a partir de publicações na rede social, seja para si próprio ou em apoio a instituições de caridade. Aqui, seria possível usar o sistema de pagamentos do Facebook, que também permite o envio de dinheiro entre perfis. A funcionalidade já está em vigor desde o ano passado.

Além disso, a enquete também fala especificamente na possibilidade de começar a dividir os lucros com os usuários. Os anúncios que aparecem em todas as páginas do Facebook surgem, claro, também em páginas de conteúdo e perfis, e, para a companhia, seria justo começar a entregar pelo menos um pouco desse montante para os criadores. É uma alternativa que, inclusive, foi evidenciada pela empresa no lançamento dos Instant Articles, o sistema de publicação de artigos que utiliza a infraestrutura do site, e que aparentemente já teria esse tipo de recurso.

Existem, ainda, menções a um sistema de assinaturas, que pode aproximar o Facebook de outros serviços como o Medium ou até mesmo o Patreon. A ideia seria permitir que os seguidores e fãs paguem uma quantia mensal ou única para terem acesso exclusivo a conteúdos e outras funcionalidades, em uma alternativa que já chamou a atenção tanto de produtores independentes de conteúdo quanto nomes consagrados da mídia nas outras plataformas.

A ideia por trás disso tudo, claro, seria incentivar publicações que utilizam o fator monetário, e não apenas a possibilidade de engajamento com centenas de milhares de usuários. Por enquanto, claro, se tratam apenas de hipóteses.

O Facebook não comentou sobre o assunto e nem fica claro na enquete qual das hipóteses poderia acabar sendo aplicada. Por outro lado, essa não é nem de longe a primeira vez que a rede social fala nesse assunto, no que parece ser uma discussão e desenvolvimento correntes que podem acabar, bem em breve, se transformando em realidade.

Fonte: The Verge